quarta-feira, outubro 15, 2008

Seixal graffiti: contributo


Na sequência da organização de mais um Seixal Graffiti pela Câmara Municipal do Seixal, tem-se desenvolvido na blogosfera local (ver aqui, aqui, aqui, aqui e aqui) um intenso e profundo debate sobre a temática.

Partindo de posições extremadas, as partes digladiam-se sobre esta temática, sendo certo que uns entendem que a iniciativa da Câmara Municipal do Seixal é um incentivo à marginalidade e que os graffiti não são uma forma de expressão cultural e artística mas apenas destruição do espaço público, outros defendem o graffiti como arte e a mais-valia que este certame local representa.

Ao contrário do que foi expresso neste blog pelo meu companheiro de partido Daniel Geraldes, eu entendo que o graffiti é uma forma de expressão cultural e existem verdadeiros artistas nesta área.

No entanto, isto não significa que eu goste ou aceite o graffite como arte suburbana na sua dimensão de destruição da propriedade privada ou pública. Não gosto e não aceito os graffiti nas fachadas dos edifícios; não gosto e não aceito os graffiti nos transportes públicos; não gosto e não aceito os graffiti fora de locais previamente especificados para o efeito.

Creio que a distinção tem de ser feita entre a arte e a destruição dos espaços privados e públicos. Devemos aceitar e fomentar a arte, mas penalizar e punir a destruição, porque efectivamente os graffiti em espaços privados e públicos não contribuem para a valorização de um património visual e estético que merece respeito e consideração.

Tema diferente é o da pintura de murais com mensagens políticas que são defendidas aqui. De acordo com a lei da propaganda é possível faze-lo em espaços reservados para o efeito, mas de maneira alguma podem ser em espaços privados. A JCP Seixal parece ter feito um mural nas paredes da antiga Fábrica de Lanifícios da Arrentela (se alguém souber, gostaria de saber quem é o proprietário) e terá sido impedida de continuar devido à presença das forças de segurança. Resta saber, se estavam ou não a cumprir a lei. Infelizmente, apenas a Câmara Municipal do Seixal pode responder a essa questão.

12 comentários:

Daniel Geraldes disse...

Filipe é um prazer discordar de ti!!!

Anónimo disse...

Importa aqui dizer q a JCP n foi impedida de pintar o mural ... o q aconteceu foi que 1 bufo eleito pelo PS chamou as autoridades pq dizia ele, q aqueles jovens estavam a fazer vandalismo...

Acontece q após as autoridades terem chegado ao local eles próprias verificaram q n se tratava de nenhum acto de vandalismo, nem tão pouco de qualquer ilegalidade...

Já agora aproveito pra dizer q os jovens n continuaram a pintura do mural dado o adiantado da hora.

Filipe de Arede Nunes disse...

Agradeço o comentário supra. Fica por saber se a JCP local estava ou não a cumprir a lei.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Daniel Geraldes disse...

Para que não haja duvidas em relação á minha posição quanto á atitude da JCP, se fosse eu que estivesse a passar no local e visse que a JCP estava a pintar o muro, tinha feito exactamente a mesma coisa.

Ponto Verde disse...

O "mural" continuava a ser pintado naquele local, Rotunda da Torre da Marinha hoje , quarta feira ás 17.45.

Até é possível que a PSP tenha estado posteriormante no local, pois a essa hora houve um toque entre dois carros que é possivel tenha envolvido as autoridades.

Anónimo disse...

Deixa-os pintar... pois amanha chego lá eu e pinto por cima aquilo que bem me apetecer

Tiago C. L. disse...

Daniel, estás mesmo excitado por teres alguém com quem discordar!

Não se compreende, porque a maioria da população do Seixal discorda da JSD por isso já devias estar habituado ;)

Quanto à iniciativa, não percebo porquê tanto alarido. É algo que j+a vi em muitos concelhos do país, não atendendo às cores políticas, e normalmente a oposição desses outros municípios escolhe temas bem mais interessantes para criticar.


Parabéns à organização, aos participantes. Vi por alto mas pareceu-me correr bem e sem incidentes.

Quanto à JCP, devia saber que o mural político é protegido mas em locais públicos. De qualquer forma, a atitude do eleito do PS foi bem pior, aqui para nós....

Vasco Pereira disse...

Não posso deixar passar em branco mais uma iniciativa do nosso executivo camarário, a 5.ª edição do Seixal Graffiti, mais propriamente, ao incentivo do uso de expressão através do grafiti.
Uma iniciativa que decorreu no nosso concelho nos dias 10, 11 e 12 de Outubro do corrente ano, iniciativa essa financiada por a CMS, ou seja, por os impostos dos contribuintes do nosso concelho. Penso que seja uma questão a ponderar: como andam a ser aplicados os nossos impostos no Seixal?
Em declarações à agência LUSA, a vereadora Paula Santos justifica a iniciativa afirmando que “ ... incentivar os writers (comum designação atribuída a quem faz graffities) a pintarem em espaços organizados, que não incomodassem ninguém ...” continuando assim, “... Decidimos promover o Seixal Graffiti quando nos confrontámos, em vários espaços urbanos, com vários graffitis, alguns deles em habitações e outros em espaços públicos...” acrescentando que, “Nós não concordamos com actos de vandalismo e, por isso, considerámos que os jovens poderiam ser enquadrados de uma forma organizada”. Conclui-se assim com as declarações da vereadora Paula Santos que, “Quando não os consegues vencer, junta-te a eles”, ainda que lá diga o velho ditado “Diz-me com que andas e eu dir-te-ei quem tu és”.
Será que a CMS não percebe que iniciativas destas servem para dar mais força a uma coisa de que apelidam “ARTE URBANA”? será que o executivo camarário não se dá conta de que financiar iniciativas deste calibre é esbanjar o dinheiro dos contribuintes, com problemas actuais de muita importância por resolver, exemplo disso, a falta de segurança em que vivemos diariamente no concelho do Seixal; atitudes destas são uma afronta a todos os munícipes. Vejam o estado em que estão as paredes onde decorreu o evento! admirem o que os nossos filhos andam a pensar para o futuro do nosso concelho! Será isto que os contribuintes querem para o Seixal?
Garanto-vos que não é o futuro que eu quero para o nosso concelho

Anónimo disse...

pinta por cima q nos fazemos outro...e outro...e outro...

Filipe de Arede Nunes disse...

Caro Tiago,

Não sei se a população do Seixal discorda da JSD Seixal. A menos que tenhas realizado um estudo que tenha incluido as propostas da JSD Seixal e o que a população quer, considero a sua opinião sem qualquer fundamento.

Seja como for, obrigado pela sua participação.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Terroir Graffiti disse...

Se gostas de graffiti do que estás a espera? Mas mesmo que odeies, aparece para cascar!
Participa dia 16 de Junho de 2009, pelas 18:00h na Biblioteca UNL no Campus de Caparica, na inauguração da exposição Terroir Graffiti

A exposição integra uma dimensão extramuros, onde um Writer será acompanhado na sua actividade por uma equipa de filmagens que produzirá um documentário, outra intramuros que consiste na pintura de um mural do Campus de Caparica e uma terceira indoor, instalação efémera de artes plásticas.

Poderás participar no debate que reúne artistas, investigadores no campo das ciências sociais e outras individualidades que trabalham sobre o tema da arte urbana.

Local: Biblioteca UNL no Campus de Caparica – Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa
Data: 16 de Junho a 11 de Setembro de 2009
Horário: 16 de Junho a 19 de Julho, 2.ª a 6.ª, das 09:00h às 20:00h.
20 de Julho a 11 de Setembro, 2.ª a 6.ª, das 09:00h às 17:00h.
Para mais informações: http://biblioteca.fct.unl.pt
http://bibliotecaunl.blogspot.com/

Como cá chegar:
http://www.fct.unl.pt/candidato/como-chegar-a-fct

Anónimo disse...

Para mim a questão principal nesta discucão não são as ilegalidades mas sim esse tipo de mentalidades retrógadas e mesquinhas, pessoas que não devem ter saido deste pequeno pais e visto o que de melhor é feito lá fora,não vejo outra explicação.Não é presiso ir para longe, basta atravessar a fronteira e fazer uns klm até Sevilha, uma cidade em que até os caixotes do lixo servem como suporte para iniciativas como esta as quais ja existem á muitos anos!
Enfim, hão-de acabar por conformar-se que o graffiti está em todo lado seja em forma de arte ou vandalismo...