domingo, outubro 28, 2007

1ª Votação JUVENTUDE SEIXAL

A JSD Seixal vem pedir a todos os visitantes do nosso Blog que votem na primeira votação do Blog Juventude Seixal (à direita deste POST por baixo dos nomes dos membros do BLOG) na seguinte questão:



O que considera pior na gestão da CMSeixal?


- Não acabar a alternativa à EN 10 conforme prometido
- Apenas 40% dos esgotos seram tratados no Seixal
- A falta de planeamento urbanistico
- Outras promessas
- Nada... a governação é boa








Agradecemos a participação de todos.

Siderurgia Nacional em Paio Pires: um problema ambiental.


Hoje trazemos um texto, publicado no Jornal do Seixal no passado dia 20.10.2007, da lider da Assembleia de Freguesia de Amora, Dra. Catarina Tavares, sobre um tema de particular interesse e importância, sobre o qual voltaremos em breve a nos pronunciarmos.
CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DA CÂMARA DO SEIXAL
Exmo. Sr. Presidente,
A instalação da Siderurgia Nacional na Aldeia de Paio Pires, abriu, no anos 50, uma janela de oportunidades para um concelo que tendo vidido sempre na sombra da grande cidade nunca tinha podido crescer e desenvolver-se.
Nessa época a consciência ambiental era diminuta, e as preocupações com a suscentabilidade do ambiente ainda não ocupavam os espiritos. À volta da SN cresceu um concelho que viria a apanhar outras boleias (a ponte sobre o Tejo, os estaleiro da Lisnave) que lhe permitiram crescer em população e aumentar exponencialmente o número de fogos.
Durante décadas, os fumos emanados das chaminés da siderurgia foram (quase) a única preocupação para muitos dos habitantes da região. Contudo, alastraram também as descargas poluentes para Tejo e, cresceram aos montes os depósitos dos resíduos contaminados. Cinquenta anos após a instalação da SN no concelho do Seixal, e alguns anos após a sua morte e ressurreição (leia-se) transformação, temos que arrojar com a sua herança.
De acordo com o relatório de 2001 di EPER (Registo Europeu de Emissores de Poluentes), a Lusosider era a empresa europeia que mais compostos orgânicos descarregava directamente na água (36,7% do total). De resto, as duas empresas sediadas em Paio Pires (Lusosider e SN) são responsáveis pela contaminação do ar com um cocktail de substâncias (cobre, arsénico, cádmio, chumbo e óxidos de azoto). Os montes de residuos (contaminados) entulhados na área da antiga Siderurgia arrastados pelo vento, ou perdendo-se dos camiões em movimento são também responsáveis pelo facto de num relatório de 1993 Paio Pires e arredores excederem entre 2 a 4 vezes os valores limite de particulas em suspensão. Não é pois, de estranhar, que os moradores de Paio Pires se queixem insistentemente do pó que tomou conta das suas casas, dos seus automóveis, das suas ruas. Só os óxidos de azoto (de acordo com o relatório EPER de 2004) eram libertados à razão de 210 toneladas/ano, pelas empresas Siderurgia Nacional e Lusosider.
Não devemos deixar de nos preocupar com os efeitos que a exposição prolongada a um leque alargado de poluentes presentes durante décadas na água, no solo e no ar podem comportar para a saúde pública: doenças respiratórias, doenças cancerígenas, alterações no desenvolvimento das crianças, perturbações do sistema nervoso, entre outras. A estas preocupações antigas somam-se, agora também as noticias periódicas sobre o transporte de sucatas radioactivas... mas ao mesmo tempo e, sem que nenhuma destas preocupações esteja devidamente esclarecida, surgem projectos de urbanizações a implementar nesta zona o que irá incrementar a população potencialmente em risco pois, a verdade é que mais de cinquenta anos de permanência da indústria pesada tiveram um forte impacto ambiental com repercussões negativas para o ecossistema.
Estas questões não podem ser escamoteadas nem descartadas na hora de decidir o futuro dos terrenos da antiga Siderurgia e sua área envolvente. A população merece ter garantias de que não só se vai proceder à descontaminação do solo e da Lagoa da Palmeira como ainda de que vai haver um redução drástica das STP/SPM e da libertação de óxido de azoto na atmosfera.

sexta-feira, outubro 26, 2007

No Seixal é Díficil...

Mas não desistimos



Foram Recentemente Roubados mais 3 Estruturas da JSD Seixal


quinta-feira, outubro 25, 2007

Eu faço a Pergunta

quem é que nunca ouviu barulhos estranhos no telemovel?

quarta-feira, outubro 24, 2007

Pista Carla Sacramento

Mais um grave problema levantado pela JSD Seixal na Assembleia Municipal do Seixal e chumbado pela maioria comunista dizendo não ter qualquer sentido.




Moção

Passaram já vários anos desde a inauguração da Pista Carla Sacramento sem que os arranjos exteriores tenham sido executados e o correspondente acabamento da mesma tenha sido efectuado pela Câmara Municipal do Seixal, apesar da grandiosa propaganda efectuada pela mesma a quando da sua entrada em funcionamento.

Considerando que:

A evocação do nome da atleta Campeã Mundial seria com certeza muito mais enobrecido com o arranjo exterior de toda a área envolvente que mais parece estar votada ao abandono;
A Pista deveria ser um pólo de atracção privilegiado com a dinamização de actividades desportivas e culturais com muito maior frequência;
A criação de um parque de estacionamento nos terrenos contíguos dotaria toda a zona de condições fenomenais para a realização de todo o género de eventos;
A construção de uma rotunda propiciaria à estrada, entretanto construída, um funcionamento que a nivelaria a uma verdadeira alternativa face à estrada nacional 10;

A Assembleia Municipal do Seixal, reunida ordinariamente aos 12 dias de Dezembro de 2006, delibera:

- Que a Câmara Municipal do Seixal termine os trabalhos, nomeadamente os relativos à zona circundante à pista, com a criação de uma zona ajardinada;


- Que a Câmara Municipal do Seixal crie um parque de estacionamento nos terrenos contíguos aos da pista já existente;


- Que a Câmara Municipal do Seixal construa uma rotunda na Estrada Nacional 10 que permita que a estrada que passa na pista e que termina na rotunda junto à estação dos comboios da Fertagus funcione como uma verdadeira alternativa;


- Que a Câmara Municipal do Seixal na rotunda construída se evoque a desportista e filha desta terra, Carla Sacramento.

terça-feira, outubro 23, 2007

Eu tenho para mim,

que quando se ouvem barulhos estranhos no telemovel é porque se tem falta de saldo, dizem-me sempre esta frase estranha "estimado cliente o seu saldo é inferior a 1 euro".

Publicidade Enganosa?

Mais uma vez a Camâra Municipal do Seixal é autora daquilo que apenas se pode considerar de publicidade enganosa... senão vejamos este cartaz situado na nova rotunda de acesso às Paivas.

Quem olhar para este cartaz certamente ficará perplexo, afinal de contas onde está o parque de estacionamento subterrâneo? As restantes obras de acesso que demoraram muitos meses já se encontram finalmente concluidas...

Um parque subterrâneo seria certamente uma solução adequada para a falta de estacionamento que se verifica nas Paivas.

Mas mais uma vez as boas ideias acabam por ficar apenas no papel... ou neste caso em outdoors da Camâra Municipal do Seixal.

domingo, outubro 21, 2007

Ele está de volta

é verdade,
Pedro Santana Lopes regressou, foi eleito líder da bancada parlamentar do PSD e como tal irá ser o porta-voz do partido nos próximos debates parlamentares,
Apesar de ter a minha opinião formada acerca deste assunto, uma coisa é certa Santana Lopes ja consegiu catapultar o interesse dos meios da comunicação social para a vida política nacional e irá concerteza, apesar de se gostar da pessoa ou não, trazer o debate político outra vez para a ordem do dia. Não me querendo alongar mais sobre o assunto e prometendo que irei voltar a este tema, peço desde já aos leitores que deixem a sua opinião sobre este regresso.

Pergunta Jovem

Alguem sabe qual é a política de Juventude que a CM Seixal tem para os jovens do nosso Concelho?

quarta-feira, outubro 17, 2007

Universidade Aberta no Seixal?

Hoje, ao contrário do que tem acontecido nos últimos post's, damos destaque a um artigo da autoria da Dra. Clara Carneiro, lider da bancada do PSD na Assembleia Municipal do Seixal, sobre a Universidade Moderna e as vicissitudes relativas à sua instalação no Seixal, publicado no Jornal do Seixal no passado dia 6 de Outubro.
A Universidade Aberta (UA) vem ou não para o Seixal?
Afinal já se passaram 11 anos!
"É verdade, foi há 11 anos que a então Vice-Reitora da UA, Profª Doutora Maria José Ferro Tavares, tomou a iniciativa de contactar as Câmaras Municipais das zonas limítrofes de Lisboa para auscultar quem teria interesse em instalar no seu município a UA.
Responderam-lhe, na altura, as Câmaras do Montijo e do Seixal, mas o desenvolvimento de trabalho concreto e de entusiasmo pelo projecto acabou por recair, em exclusivo, na Câmara do Seixal.
A autarquia, pouco tempo depois, decidiu adquirir as instalações da antiga fábrica de cortiça Mundet, com o objectivo de cedência de parcela de terreno para a instalação da UA: estava dado um primeiro e importantíssimo passo, bem demonstrativo do interesse que o projecto acolheu junto da Câmara do Seixal.
Entre 1996 e 2002 nada mais se passou!
Em 2002, correspondendo ao emprenho sempre manifestado pelo Sr. Presidente da Câmara, os então Deputados do PSD pelo Distrito de Setúbal (grupo no qual me incluía, mas de que quero realçar o trabalho abnegado do Sr. Deputado Luís Rodrigues) sensibilizaram o Governo de então, presidido pelo Dr. Durão Barroso, para a necessidade e interesse no avanço deste processo.
Necessidades e interesse para ambas as partes: para a UA que estava instalada num edifício em fase avançada de degradação; para o Município que chamava ao seu território uns largos milhares de alunos, docentes e funcionários e para o próprio Ministério da Ciência que via muito melhorada a funcionalidade de uma Universidade de ensino inovador, digamos que não convencional e muito prestigiada numa vertente de ensino à distância, moderno e compatível com o perfil dos seus alunos, todos eles já no mercado de trabalho.
Foi assim que, no Orçamento de Estado para esse ano e pela primeira vez, veio contemplada em PIDDAC uma verba para financiamento de um anteprojecto de instalação deste Campus Universitário no Seixal, neste terreno cedido pela Câmara.
A própria Ministra da Ciência e Ensino Superior, Profª Doutora Graça de Carvalho, visitou os terrenos, na companhia da então Reitora Profª Doutora Mª José Ferro Tavares, do actual Presidente da Câmara Municipal do Seixal e dos Deputados do PSD eleitos pelo Distrito de Setúbal e assumiu, em declarações públicas, o compromisso do Governo em apoiar a instalação da UA no Seixal.
No cumprimento dessa sua palavra, nesse mesmo ano de 2002/2003, é lançado e concluído um concurso público internacional para a elaboração desse projecto.
Este é um pequeno resumo de uma história cujo fim eu não sei!
Sei que a UA continua nas mesmas instalações, agora presumo que ainda mais degradadas, sei que a Assembleia Municipal, no passado dia 24 de Setembro, aprovou por unanimidade uma proposta da autoria do PCP a exigir ao actual Governo o cumprimento dos compromissos já anteriormente assumidos na concretização da transferência da UA para o Seixal, com correspondente disponibilização das verbas necessárias.Aguardemos, pois, pelo próximo Orçamento de Estado e, pela parte do PSD, continuaremos atentos e activos caso se continuem a verificar os cortes orçamentais com que o Governo Socialista tem brindado o nosso Distrito, os quais, em termos de investimentos, se têm cifrado, nos últimos 2 anos, por decréscimos da ordem dos 40%."

domingo, outubro 14, 2007

Pista Carla Sacramento: Há muito inaugurada, mas ainda por concluir!



Porque uma imagem vale mais do que mil palavras – logo as quatro fotografias que publicamos hoje têm um valor incalculável – hoje trazemos mais um exemplo do problema que a Câmara Municipal do Seixal tem com prazos de execução de promessas e de obras.
Hoje falámos da Pista Carla Sacramento, inaugurada com pompa e circunstância sem nunca ter sido acabada.
Mesmo em frente à entrada, dois Outdoors. Um da CMS, muito apagado e sem cor – como esta gestão da CMS – que prometia um investimento de quase € 700.000 e um prazo de execução de 120 dias, e ao lado um outro do Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, desta vez a prometer um investimento de € 750.000, sendo que € 550.000 de investimento comunitário. Este ainda não perdeu a cor, mas a obra continua por fazer. Também não entendemos se a obra sempre teve previsto o investimento comunitário – e a propaganda da CMS escamoteou esse facto – ou se entretanto o FEDER passou a contemplar este investimento. Também não sabemos se ao projecto inicial foram acrescentadas obras, ou se pura e simplesmente andam a brincar com o nosso dinheiro e no entretanto a obra custa hoje mais € 80.000!
O prazo inicial era de 120 dias. O que ninguém percebe é se seriam 120 dias após a colocação do outdoor, ou se serão 120 dias depois deste começar!
A JSD Seixal lamenta profundamente este género de política praticada pela maioria comunista e condena as promessas, a propaganda e o desperdício de dinheiros públicos nessa propaganda. Obra é que não há!
Quem passa por aquele local e de depara com o cenário fantasmagórico dos desarranjos exteriores, tem que se questionar porque motivo estão aqueles obras para fazer. Acresce a esta situação o facto de não existirem lugares de estacionamento e de os acessos serem precários.
A JSD Seixal, através dos seus elementos eleitos nas autarquias municipais teve já oportunidade de apresentar moções relativas a este facto, no entanto chumbadas pela maioria comunista!
Assim sendo, a JSD Seixal exige que se esclareça quando se iniciarão as obras de conclusão da Pista Carla Sacramento, e exige ainda que estas se realizem o mais rapidamente possível, de forma a que os atletas e a população possam verdadeiramente usufruir daquele espaço.




quinta-feira, outubro 11, 2007

A falta de obra do regime: Frente ribeirinha Arrentela/Seixal.


O executivo comunista da Câmara Municipal do Seixal tem um problema com prazos, como vimos já num post anterior sobre a ponte da Fraternidade que tinha como data para o início da execução o 4.º trimestre de 2006 sendo que as obras estão ainda por começar e estamos já quase no início do 4.º trimestre de 2007 – embora um anónimo tenha feito notar, e bem, que no lugar do 4 esteve antes um 1, logo, neste momento quase 2 anos de atraso relativamente à propaganda inicial.
Desta vez trazemos mais um exemplo do problema que a CMS tem com os prazos, desta feita, no que diz respeito à obra de iniciativa municipal relativa à frente ribeirinha Arrentela-Seixal.
De acordo com o Outdoor, que é possível observar nas imagens, a obra dever-se-ia ter iniciado no 1.º trimestre de 2006 – este ainda não foi rasurado – e completaria a frente ribeirinha do lado da Arrentela/Seixal.
Das imagens conclui-se que, apesar de o local ser frequentado e bastante pela população esta continua por realizar.
A JSD Seixal não aceita esta propaganda feita à custa dos munícipes para promover a falta de trabalho desta maioria. Esta é mais uma das tristes imagens da falta de capacidade de execução dos projectos e dos objectivos, é mais um dos reflexos da facilidade da patranha por parte de uma maioria gasta e sem ideias.
O Seixal não é uma coutada do partido comunista, que cria e destrói a seu belo prazer. A qualidade de vida da população – através do acesso a verdadeiras infra-estruturas da rede viária, do tratamento dos esgotos, da qualificação urbanística, do acesso a equipamentos desportivos – não pode ser segunda prioridade. A qualidade de vida da população de um concelho que tem como principal característica o rio e a sua baia, constrói-se do centro para a periferia e pela dotação deste centro das necessárias valências para que a vida se faça à sua volta e não pela negligência e o abandono como tem acontecido ao longo dos últimos 30 anos de poder autárquico.
Assim sendo, a JSD Seixal exige que a CMS cumpra as suas promessas e que termine sem mais delongas o arranjo da frente ribeirinha da Arrentela/Seixal.

terça-feira, outubro 09, 2007

Seixal: A falta de vergonha não tem limites!


Apesar de já ter sido noticia do passado mês, não tivemos ainda oportunidade de nos pronunciarmos sobre o teor do Boletim Municipal do Seixal de 21 de Setembro passado – vulgo, órgão de propaganda da CMS – que se refere, em primeira página ao tratamento dos efluentes no nosso concelho.
De acordo com um dos subtítulos, os investimentos em curso asseguram o tratamento total dos efluentes até 2009, o que eventualmente poderia ser verdade se tal como se diz aqui (http://rumoabombordo.blogspot.com/2007/09/o-boletim-municipal-no-fala-verdade.html), parte significativa dos esgotos, por não existirem ligações à rede publica, não ficassem por ser tratados.
No entanto, o que mais nos surpreende neste trabalho jornalístico – não sei se assim se poderá chamar à propaganda da CMS, mas enfim – é a frase “O tratamento dos efluentes domésticos e industriais (esgotos) é uma das actividades fundamentais para o equilíbrio ambiental do Concelho e do País e uma garantia da sustentabilidade do desenvolvimento urbano, social e económico, indissociável da qualidade de vida das populações.”
Com a breca, vamos dissecar. Ora, se de acordo com a propaganda só em 2009 – depois de mais de 30 anos de executivo comunista na CMS! – é que se vai verificar o tratamento total dos esgotos, então o que é que andaram a fazer até agora? Será que só ao final deste tempo todo é que chegaram à conclusão que o tratamento dos esgotos é indissociável da qualidade de vida das populações? Estranho não é?
Diz ainda o artigo que a preservação do património ambiental tem sido o principal objectivo de actuação da CMS! Bolas, se esta é a principal preocupação da maioria comunista – ver infra, fotos e vídeos de descargas de esgotos para a Baia – então imaginamos – e infelizmente constatamos de facto – o que se passa com aquelas que não são as suas preocupações e prioridades!
O artigo diz ainda que a Baia não recebe esgotos, mas sim o Rio Coina. Pronto, tudo bem, não há problema! Afinal é o rio Coina que recebe os esgotos que vão desaguar bem atrás do centro de estágios do Benfica! Aí, não há problema nenhum!
Seja como for, embora a JSD do Seixal não fique satisfeita com as respostas – que aliás são elucidativas da incapacidade desta maioria de resolver em tempo os problemas graves que afectam o concelho – ficámos surpreendidos pela rapidez de resposta ao nosso Outdoor sobre esta temática. Se a CMS resolvesse os problemas da população tão depressa como faz propaganda – gastando o dinheiro dos munícipes – certamente que o Seixal seria um espaço muito mais agradável para se viver.

sexta-feira, outubro 05, 2007

Ponte de Fraternidade: A vergonha continua!



Segundo as imagens que podemos observar, a obra de iniciativa municipal de alargamento da Ponte da Fraternidade, tinha início marcado para o 4.º trimestre de 2006.
Embora estejamos quase a entrar no 4.º trimestre de 2007, as imagens da degradação da Ponte estão à vista de todos. Qualquer transeunte mais incauto poderá deixar o estreito asfalto para mergulhar no lodo da Baia do Seixal.
A JSD Seixal, já noutros locais teve oportunidade para manifestar a sua indignação perante o estado vergonhoso deste local. Carros e pessoas correm sérios riscos de cair devido ao mau estado da Ponte e urge que a Câmara Municipal do Seixal cumpra mais esta sua promessa.
Mais uma vez, a propaganda da maioria que governa o Seixal nada mais consegue do que a promessa de obra sem que a mesma se concretize. Denota a incapacidade que se tem manifestado cada vez com mais magnitude e frequência desta maioria para fazer face aos problemas que afectam o concelho e por conseguinte a população.
Assim sendo, a JSD Seixal exige, tal como o tem feito relativamente a uma miríade de situações diversas, que a Câmara Municipal do Seixal cumpra a promessa amplamente propagandeada e processa ao início das obras de alargamento e arranjo da Ponte da Fraternidade.