segunda-feira, junho 30, 2008

No Seixal a democracia está em risco!

A JSD Seixal tem acompanhado com preocupação a débil situação da democracia no concelho do Seixal.
Desde que os actuais membros da Comissão Política da JSD Seixal tomaram posse, tem existido uma avalanche de situações que põem em causa o bom funcionamento das instituições e que limitam a liberdade de expressão e de manifestação de ideias.
Recentemente foi noticiado que o “Grupo Flamingo” – uma organização ambientalista com sede no nosso concelho – foi impedido publicitar um abaixo-assinado contra uma determinada posição da Câmara Municipal do Seixal relacionada com o Sapal de Corroios, num evento denominado “Feira da Terra”.
Em Fernão Ferro, depois de se ter constituído um Grupo de Trabalho com o intuito de reunir e receber sugestões da população relativos a problemas concretos da população, o mesmo foi boicotado pelo Presidente da Junta de Freguesia eleito nas listas do PCP.
Na Assembleia Municipal, o direito dos partidos apresentarem declarações políticas, moções, etc., tem sido posto em causa o que redundou já no abandono de uma das reuniões pelos eleitos do PSD.
Em Abril de 2007, na sequência do lançamento de um campanha da JSD Seixal subordinada ao tema das acessibilidades que teve como ponto mais alto a colocação de um outdoor em Corroios, a Câmara Municipal do Seixal levantou um processo de contra-ordenação contra a JSD Seixal. Depois de apresentada defesa e de ter sido junto um parecer da Comissão Nacional de Eleições – que era amplamente favorável à JSD Seixal – nunca mais houve notícia sobre o resultado do processo levantado.
É neste clima de crispação induzida por esta maioria PCP, que não se inibe de tecer comentários públicos contra a oposição ou contra qualquer grupo que não compartilhes das suas posições, que surgem constantes ataques perpetrados por verdadeiras milícias organizadas que destroem toda a propaganda da JSD Seixal e contra a sede do PSD Seixal.
O mais recente ataque surgiu na sequência de uma campanha, que incluiu o lançamento de um novo outdoor, sobre a criação de uma Polícia Municipal do Seixal. Pouco mais de uma semana depois da apresentação, foi, obviamente, vandalizado.É este o clima de medo que se vive no concelho do Seixal.

sábado, junho 28, 2008

God Bless Nelson Mandela

Decorreu hoje em Londres,um concerto de homenagem e de comemoração dos 90 anos de Nelson Mandela,apesar de só se comemorarem oficialmente dia 18 de Julho.

Se por um lado, esta figura é um exemplo de humanismo, de tolerância,de respeito e consideração pelo próximo , é a par com Robert Mugabe, dos mais respeitados africanos pelos próprios africanos,apesar de seres pessoas tão diferentes, e digo isto com algum conhecimento de causa,que obviamente é discutivel, mas tenho a minha oponião formada visto que vivi em Moçambique e conheci de muito perto a realidade Africana.

Coloco este vídeo, para homenagearmos, Nelson Mandela em toda a sua dimensão e humanidade e para condernar-mos veemente o que é,o que representa, e o que faz Robert Mugabe,no mais verdadeiro espírito anti-democratico,racista, xenófobo e ditatorial

os meus mais respeitosos e sinceros cumprimentos,

sexta-feira, junho 27, 2008

Energia é igual a qualidade de vida!

O mundo tem acompanhado com interesse e preocupação a escalada do preço do petróleo, base fundamental da vida como a conhecemos durante o último século, não só porque afecta o crescimento da economia – com todas as directas consequências que daí advêm – mas sobretudo porque começa já a por em causa a qualidade de vida de milhões de pessoas por todo o mundo.
Não querendo entrar profundamente na discussão sobre esta temática, quero no entanto referir-me a um assunto em particular que afecta cada vez mais os portugueses e os cidadãos dos países de quase todo o mundo: o preço dos combustíveis.
Com a escalada do preço do petróleo parece ser inevitável a consequente subida do preço dos combustíveis. Independente de o Estado arrecadar uma receita enorme com a venda de combustíveis, a verdade é que me parece que o problema não pode ser solucionado com o recurso à diminuição dos impostos. Uma iniciativa deste género apenas convidaria ao adiamento da resolução do problema, criando uma falsa ilusão de segurança que efectivamente não existe.
No entanto, o mercado parece estar já a reagir à subida vertiginosa do preço do petróleo e dos combustíveis e a encontrar soluções para a resolução de alguns dos problemas.
No que diz respeito em concreto à circulação automóvel, parece que as primeiras alternativas viáveis aos motores de combustão começam a surgir em força.
Numerosos exemplos de como as marcas, umas mais conhecidas do que outras começam já a preparar com afinco o futuro podem ser encontradas aqui, aqui, aqui e aqui (embora muitos outros exemplos se possam encontrar através de uma rápida consulta na Internet).
A verdade, é que os carros eléctricos resolvem apenas uma parte do problema, porque efectivamente o mal pior não é naturalmente o preço dos combustíveis, mas sim o preço da matéria-prima: o petróleo.
Ora, é porque o petróleo é efectivamente um recurso escasso e com fim à vista, que temos de rapidamente encontrar soluções que resolvam o problema da dependência energética de Portugal face ao exterior.
Se é verdade que os recentes projectos relativos à energia eólica, solar, hídrica e das ondas são um contributo muito importante, não deixa de ser menos verdade que são ainda insuficientes.
É nesta perspectiva que surge como solução possível a energia nuclear, que tem necessariamente de ser estudada sem preconceitos e talvez seja neste momento a única possibilidade que temos de encarar o futuro com a mesma qualidade de vida dos nossos dias.
Há uma coisa de que temos de estar conscientes: não voltaremos a ter petróleo aos preços de 2000, porque cada dia que passa há menos, mais difícil e caro de retirar do solo e a procura é mais elevada. É por isso tempo de pensar a longo prazo e corrigir os erros do passado.

País de Opereta

quinta-feira, junho 26, 2008

Construção Europeia


Dado que o tema vem sendo discutido no blog há algum tempo, e em género de resposta alargada ao post do Daniel Geraldes, venho também eu contribuir com a minha opinião para o assunto.

Neste momento, em que a União Europeia olha para si mesma, à procura do que correu mal e que terá provocado o “Não” irlandês ao Tratado de Lisboa e procura uma solução (minimamente) viável para a situação criada, será positivo olhar para o problema de uma perspectiva mais afastada e global.


Com a rejeição, por parte da sociedade Holandesa e Francesa, da Constituição Europeia, criou-se no seio da União Europeia um dos problemas mais graves que esta enfrentou na sua história: As opiniões públicas de dois dos países mais antigos no seio da mesma rejeitavam um crescimento da integração europeia. A partir desse momento criou-se, a meu ver, o verdadeiro problema que hoje assola a União: O afastamento da liderança europeia relativamente às sociedades nacionais. Tal questão criou-se exactamente da sua oposta: O afastamento nasceu do desejo de aproximação.


Com a criação do Tratado de Lisboa veio também o desejo da sua aprovação por parte dos parlamentos nacionais, modo que oferecia uma maior segurança às lideranças europeias. Na minha opinião, tal decisão justificava-se plenamente, dado o carácter mais “administrativo” do Tratado em questão, relativamente à Constituição. Criou-se, no entanto, uma aproximação entre os dois documentos, aproximação essa que provocou nas sociedades uma ideia de que estariam a ser ignoradas no processo de construção europeia.


A construção europeia, enquanto processo de transferência de responsabilidades e direitos entre os Estados e a União nunca poderá avançar sem o consentimento das respectivas sociedades, sob pena destas entenderem o processo não como início de um novo capítulo da história europeia mas sim como um ataque ao Estado em questão, abrindo ainda mais o caminho a argumentos nacionalistas, com consequências imprevisíveis mas evidentemente negativas.


A meu ver, a construção europeia será consolidada ( e concluída) devido, principalmente, a uma pressão exterior. Existem vários exemplos disso na História Mundial, como o caso da criação dos Estados Unidos da América e da unificação da Alemanha. E tal pressão externa será, provavelmente, a diminuição da importância relativa da economia europeia a nível mundial. Enquanto o PIB europeu representa hoje aproximadamente 31% do PIB mundial(Dados do IMF), esta percentagem verifica uma tendência negativa, prevendo-se que, em 2050, nenhum país europeu pertença ao grupo das 6 maiores economias mundiais (G6)(Dados da Goldman Sachs). Após séculos de domínio a nível económico, tecnológico, cultural e militar, a Europa enfrenta um futuro negro. A sua posição mundial depende do sucesso da integração europeia, sob pena de se ver renegada do primeiro plano político e representar, apenas, um agrupamento de Estados de segunda linha.

"Brain Storming" por Fernão Ferro


A mim não me chocava, e acho que á população do Seixal tambem não. Porque a CDU já não corresponde aos novos desafios para o Seixal.

Acordo ortográfico



De fato, este meu ato refere-se à não aceitação deste pato com vista a assassinar a Língua Portuguesa.

Por isso... por não aceitar este pato... também não vou aceitar ir a esse almoço para comer um arroz de pato...

A esta ora está úmido lá fora... por isso, de fato lá terei hoje de vestir um fato...
Concorda com o modo de escrever acima exemplificado?
Se não concordar, clique na imagem que se segue e assine:



segunda-feira, junho 23, 2008

Mais vale Papel na Rua que Polícia na Rua

Junto segue a notícia no Jornal Sem Mais (Distribuido com o Jornal Expresso no distrito de Setúbal) sobre a Polícia Municipal.


E ao que parece, o Presidente da Câmara Municipal Alfredo Monteiro parece que anda muito pouco preocupado com a Situação de Segurança no nosso concelho, por dois motivos:

- Quer mais polícia na rua, mas não quer é ser o próprio a pagar. Preferindo claramente manter os jornais na rua (boletim municipal) aos polícias na rua. Para o PCP a prioridade é a Campanha Eleitoral e não a Segurança... Prioridades...

- Parece que existe uma despreocupação por parte da Câmara Municipal em matéria de Segurança no nosso concelho, pois ao que parece não têm procurado reunir e informar-se com as Polícias do nosso concelho sobre o verdadeiro e real estado do mesmo em matéria de criminalidade, pois a ideia do Intentende Fernando Pinto não é a mesma do Presidente da CMS. Será que o Seixal do PCP é diferente do Seixal real?

sábado, junho 21, 2008

PPD-PSD

PAZ - PÃO-POVO E LIBERDADE----SEMPRE TODOS UNIDOS NO CAMINHO DA VERDADE

sexta-feira, junho 20, 2008

XXXI Congresso Nacional do Partido Social Democrata


O PSD vai reunir em Congresso este fim-de-semana em Guimarães.
Fica aqui a moção da estratégia global da Presidente do PSD Manuela Ferreira Leite.

Hoje é dia do Boletim Municipal!

Confesso que não consigo entender qual o critério utilizado para este género de noticias no Boletim Municipal do Seixal.
Gostaria de saber porque é que a participação de autarcas numa manifestação promovida por uma central sindical é alvo de destaque no jornal oficial do município, quando manifestações da população no nosso concelho sobre assuntos que dizem directamente respeito ao que aqui se passa não têm qualquer destaque, como por exemplo a manifestação que se verificou na Verdizela.
Enfim!

quinta-feira, junho 19, 2008

A JSD Seixal

foi destaque no Blog Câmara de Comuns, e no Jornal Díario Gratuito Destak , pelos piores motivos.

JSD Seixal apresenta Queixa-Crime



COMUNICADO DE IMPRENSA
JSD APRESENTA QUEIXA CRIME



Na sequência do lançamento de uma nova campanha, desta feita relativa à problemática da segurança, a JSD Seixal colocou um novo outdoor na EN 10 junto ao Centro Comercial de Amora.

Tal como tem vindo a acontecer com as outras campanhas lançadas pela JSD Seixal, na noite de dia 17 para 18 de Junho este outdoor foi barbaramente atacado e vandalizado.

A JSD Seixal, por intermédio da sua Comissão Política, veementemente condena e critica o ataque perpetrado contra as suas ideias que conduz a uma limitação inaceitável à sua liberdade de expressão e à propriedade de um partido político.

A JSD Seixal, no seguimento de mais este intolerável acto, irá, novamente, apresentar junto do Ministério Público do Seixal uma queixa-crime, para que de uma vez por todas se investigue quem são os autores morais e materiais destes feitos.

A JSD Seixal lamenta ainda que os governantes do nosso Concelho sejam os primeiros a não dar o exemplo no que concerne à aceitação da divergência e pluralidade de opiniões e iniciativas e chama à colação a recente tomada de posição da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal relativamente a um abaixo-assinado do Grupo Flamingo em defesa da preservação do Sapal de Corroios que conduziu à retirada e proibição do mesmo e à recente limitação à apresentação de moções na Assembleia Municipal por parte do Grupo Municipal do PSD. É de esperar que num Concelho onde os órgãos Municipais dão este exemplo, o exercício da política por parte da oposição seja assiduamente alvo deste género de ataques.

A JSD Seixal põe ainda em causa o conceito de democracia reinante neste Concelho. Não temos notícias da existência da violência reiterada contra a propaganda de partidos políticos como acontece no Seixal. A calada da noite serve sempre para os cobardes aparecerem e fazerem o seu trabalho.

Finalmente, a JSD Seixal reafirma que não serão estes actos intimidativos que colocarão em causa a continuação da apresentação de iniciativas e que continuaremos a lutar incessantemente pela alteração da realidade política no Concelho do Seixal.



Pela Comissão Política de Secção da JSD Seixal,
Miguel Pina Martins

E quando deixar de ser só connosco?!


Bertolt Brecht foi um fabuloso escritor e dramaturgo alemão que escreveu o seguinte texto:

“Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro
Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário
Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável
Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei
Agora estão me levando
Mas já é tarde
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo”

Esta citação vem a propósito da vandalização de mais um dos outdoors da JSD Seixal. Fica na consciência de cada um a interpretação a dar às palavras do autor.

Hoje temos de cantar assim,porque ninguem nos mete medo!!!

quarta-feira, junho 18, 2008

Filme repetido!


Há coisas que nunca mudam!
Mais uma vez um outdoor da JSD foi vandalizado.
Confesso que já não sei o que dizer…
A JSD Seixal esforça-se por apresentar propostas construtivas para a futuro do Concelho do Seixal, investindo empenho, dedicação, devoção e também dinheiro na execução dos seus projectos e na calada da noite e cobardemente destroem o trabalho de quem dá sem nada pedir em troca.
Estou revoltado e não posso deixar de acreditar que isto é feito propositadamente. A mais nenhum partido ou organização no Seixal acontece o que se vê nas imagens e que acontece com a JSD Seixal!
A democracia é um conceito que a muito boa gente provoca apenas alergia!

Assembleia deFreguesia do Seixal

Ontem, dia 16 de Junho, tevelugar a Assembleia de Freguesia do Seixal na qual tanto o PSD como o PS não compareceram pelos motivos que passo a explicar:

1º - As convocatórias têm de ser feitas com 8 dias (úteis) de antecedência por carta e tal não aconteceu, e tendo sido alegado que os CTT fizeram greve, foi-nos informado sexta-feira, dia 13, que na segunda-feira seguinte iria haver Assembleia POR TELEFONE... quanto à carta com a documentação e respectiva convocatória chegou no próprio dia da Assembleia.
2º - Mesmo alegando uma greve dos CTT, a Junta de Freguesia do Seixal possui um motorista privado que poderia entregar as convocatórias mesmo com um dia ou dois de atraso(acho que 1 ou 2 dias é perdoável), o que não seria a primeira vez, mas tal não aconteceu.
3º - Em suma, devido às irregularidades presentes nesta Assembleia de Freguesia, os partidos de oposição decidiram não comparecer, justificando as suas faltas de acordo com o acima descrito.

Cumprimentos,
Mauro Santos

O nosso problema é a qualidade ou a falta dela

As autoridades chinesas recusam-se a comer as nossas bolachas.

Isto é Fantastico

todos os anos, os exames nacionais levantam duvidas sobre o teor das respostas, não há para aí nenhum professor daqueles que se manifestam que seja capaz de por cobro a isto, até para mais num exame de Lingua Portuguesa.

terça-feira, junho 17, 2008

Façam de Lisboa uma cidade de Milionários

Na altura em que Joe Berardo estava em tudo o que era orgão de comunicação social, desde revistas, jornais, rádios, internet e televisões, este deu uma entrevista que tive oportunidade de ler, em que sumariamente ele dizia para se fazer de Lisboa uma cidade de milionarios como Londres, sei que para o publico alvo para quem eu escrevo, que são meia duzia de comunistas, meia duzia de militantes da JSD e PSD, e meia duzia de curiosos e curiosas, isto serve para dizer que o País precisa de captar investimento e receitas e criando uma cidade de milionarios concerteza poderia catapultar Lisboa para um polo atractivo de investimento e de promoção de produtos internacionais, e que fundamentalmente o país como Lisboa precisam é de dinheiro e investimento.

Mas digo-vos isto, tão só e simplesmente para discordar de um tal Victor Gonçalves deputado social democrata de Lisboa, que irá apresentar uma moção de censura contra o aluguer da Praça das Flores por parte do Sá Fernandes, ao grupo empresarial que representa o carro da marca SKODA.

Eu bem sei, que o carro SKODA pouco ou nada vale, e preferia claramente o Serie 5 do nosso Presidente de Camâra, sendo de certeza o unico ponto de vista na minha vida em que o sr. Presidente concorda comigo, mas alugar a Praça das Flores foi na minha opinião inteligente por parte de Sá Fernandes e proveitoso para a cidade, este aluguer irá trazer um investimento de cerca de 10 a 15 milhões de euros directos para Lisboa e alem disso é um promoção gratuita a varios niveis, sendo que directamente da SKODA, cerca de 5 mil pessoas irão visitar a cidade para conhecer este novo modelo.

Tambem não é costume eu, concordar com o Sá Fernandes, e concordar com o Sr. Presidente da CM Seixal e com o Sá Fernandes ao mesmo tempo, então é algo verdadeirmente histórico, mas este senhor Victor Gonçalves daqui para a frente, já que teve os seus 15m de fama, devia era repensar a sua forma de servir Lisboa.

P.S. Senhor Presidente se lhe agradou estar de acordo com um militante da JSD, digo-lhe que se algum dia quiserem alugar os nossos(poucos) jardins para promover algo, em principio,e volto a sublinhar em principio tem o meu APOIO, mas para isso substitua o vereador do Ambiente, porque de competente e de servidor do ambiente ele não tem nada.

1ºano de Mandato CPN

Convido todos a verem este filme.

Vale a pena perder 10 min.

O Mundo anda estranho

Quando o Governo dá uma guinada para a esquerda, a CGTP de Carvalho da Silva vira á Direita.

Finalmente a CGTP percebeu os prêambulos do mercado livre e aceita as regras do jogo, criticando os camionistas que ao fim ao cabo pediram exactamente aquilo que a CGTP unidade sindical pede nas suas manifestações de 200 mil pessoas.

segunda-feira, junho 16, 2008

Sr. Presidente da Câmara Municipal do Seixal

Depois de dar uma volta hoje pelo nosso concelho e ter apreciado o betão que é Corroios, Amora, Cruz de Pau, Arrentela e a grande maioria do nosso Concelho e após ter apreciado a magnifica Baía com um cheiro nauseabundo e tão mal estimada, o meu objectivo é ser:

FELIZ AQUI


Sem esta gente que gere os destinos do meu munícipio!


domingo, junho 15, 2008

Já não posso com a TVI

A tarde inteira a molestar o espectador com a nossa selecção e o Cristiano, o Deco, o Nani, o Scolari, o cozinheiro, o fisioterapeuta, a Maria do andar de cima, o Manel do café, o Zé dos berloques e a criança desdentada que é fan do Maniche, e quer o Mourinho para treinador da selecção nacional,
A culpa deste triste espectaculo só pode ser do delfim ex-comunista, ex-socialista e actualmente da esquerda caviar e admnistrador da Media Capital, Pina Moura!

Avancem JÁ com o MIBEL *

que eu mudo JÁ de operador ... Clientes vão pagar dívidas incobráveis


* (mercado ibérico de energia)

Capitalismo Americano




O bom sentido de negócio, leva a que tudo o que possa dar lucro seja aproveitado na hora de lançar negócios diferenciadores, e que melhor do que a imagem dos 2 candidatos norte-americanos á Casa Branca para efeitos lucrativos.
Se clicarem em qualquer uma das imagens, terão acesso ao site com cada uma das personagens a dizerem palavras de ordens, para incentivar o utilizador., quer seja Republicano ou Democrata.

sábado, junho 14, 2008

Um exemplo de cidadania e dedicação

Um modelo de desenvolvimento nacional que não me importava de voltar a discutir

Começa hoje, em Montemor no Alentejo, um congresso subordinado ao tema "Desenvolvimento e Regionalização" em parceria conjunta de pessoas com responsabilidades políticas, publicas e cidadãos em nome individual.

Este concerteza, apesar do referendo que ocorreu em 1998 e que foi chumbado, e é um dos temas que o País poderia discutir como novo modelo de desenvolvimento económico para combater o centralismo de Lisboa, e era uma maneira na minha opinião de dar mais oportunidades ao interior, e um novo modelo admnistrativo e politico que começa a fazer falta.

sexta-feira, junho 13, 2008

E agora?


Os irlandeses votaram NÃO no referendo ao Tratado de Lisboa. E agora?

Português- Espanhois ou Portunhois

Um bebé português que nasce em Espanha é????????????????

quinta-feira, junho 12, 2008

Quase a ganhar cabelos brancos

Se o mercado se auto-regula e a mão invisivel não dorme,quanto é que o governo vai pagar á Brisa, á Mota e Aeronor nas portagens a menos para os camionistas + as scuts????

Acrescento as 14:52

agora são os taxistas a reunirem-se

Tanto medo que nós temos do mercado concorrencial!!!!!

Novo acrescento as 17:07
Estado vai compensar Lusoponte por perda de receitas de IVA nas portagens das pontes

Perde-se mais uma bela oportunidade de promover o eficiente Fertagus.

Tudo uma questão de semântica

A bem dizer ele não reduziu os impostos aos camionistas, ele apenas concedeu benefícios fiscais aos mesmos, o que é diferente.

Já que há 15 dias no debate quinzenal, o nosso Primeiro Ministro referia que não devia ser os portugueses que não tinham carro, a subsidiar o aumento do preço do combustivel, eu pergunto:
Quem é que vai pagar mais esta factura?

Acrescento:
a causa foi modificada para ver.

Liberdade no Seixal? Qual liberdade?!

A JSD Seixal, confrontada com esta notícia relativa a um Comunicado de Imprensa do “Grupo Flamingo” não pode deixar de repudiar veementemente e pedir esclarecimentos ao Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal do Seixal sobre a veracidade dos factos relatados.
A liberdade é de facto um conceito com que este executivo não sabe lidar. Os militantes da JSD Seixal estão envergonhados com as posições assumidas pelo representante maior do concelho do Seixal!

terça-feira, junho 10, 2008

Dia de (Repensar) Portugal

Portugal, Junho de 1871

Leitor de bom senso, que abres curiosamente a primeira página deste livrinho, sabe, leitor celibatário ou casado, proprietário ou produtor, conservador ou revolucionário, velho patuleia ou legitimista hostil, que foi para ti que ele foi escrito – se tens bom senso! E a ideia de te dar assim todos os meses, enquanto quiseres, cem páginas irónicas, alegres, justas, nasceu no dia em que pudemos descobrir, através da ilusão das aparências, algumas realidades do nosso tempo.Aproxima-te um pouco de nós, e vê.

O País perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direcção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido, nem instituição que não seja escarnecida. Ninguém se respeita. Não existe nenhuma solidariedade entre os cidadãos. Já não se crê na honestidade dos homens públicos. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos vão abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas ideias aumenta a cada dia. Vivemos todos ao acaso. Perfeita, absoluta indiferença de cima a baixo! Todo o viver espiritual, intelectual, parado. O tédio invadiu as almas. A mocidade arrasta-se, envelhecida, das mesas das secretarias para as mesas dos cafés. A ruína económica cresce, cresce, cresce... O comércio definha. A indústria enfraquece. O salário diminui. A renda diminui. O Estado é considerado na sua acção fiscal como um ladrão e tratado como um inimigo.

Neste salve-se quem puder a burguesia proprietária de casas explora o aluguer. A agiotagem explora o juro.De resto a ignorância pesa sobre o povo como um nevoeiro. O número das escolas só por si é dramático. O professor tornou-se um empregado de eleições. A população dos campos, arruinada, vivendo em casebres ignóbeis, sustentando-se de sardinha e ervas, trabalhando só para o imposto por meio de uma agricultura decadente, leva uma vida de misérias, entrecortada de penhoras. A intriga política alastra-se sobre a sonolência enfastiada do País. Apenas a devoção perturba o silêncio da opinião, com padre-nossos maquinais.Não é uma existência, é uma expiação.E a certeza deste rebaixamento invadiu todas as consciências. Diz-se por toda a parte: «o País está perdido!» Ninguém se ilude. Diz-se nos conselhos de ministro e nas estalagens. E que se faz? Atesta-se, conversando e jogando o voltarete, que de Norte a sul, no Estado, na economia, na moral, o País está desorganizado – e pede-se conhaque!Assim todas as consciências certificam a podridão; mas todos os temperamentos se dão bem na podridão!Nós não quisemos ser cúmplices na indiferença universal.

E aqui começamos, sem azedume e sem cólera, a apontar dia por dia o que poderíamos chamar – o progresso da decadência. Devíamos fazê-lo com a indignação amarga de panfletários? Com a serenidade experimental de críticos? Com a jovialidade fina de humoristas? (...)Vamos rir, pois. O riso é uma filosofia. Muitas vezes o riso é uma salvação. E em política constitucional, pelo menos, o riso é uma opinião. (...)

Eça de Queirós, Uma Campanha Alegre

Apesar de já conhecer o texto, aqui lanço um pedido de desculpas ao Nuno Poças por o ter plagiado do seu blog "o Progresso".

quinta-feira, junho 05, 2008

Polícia Municipal no Seixal: Porquê?


Veja-se infra, algumas das competências das Polícias Municipais:

Fiscalização do cumprimento das normas de estacionamento de veículos e de circulação rodoviária, incluindo a participação de acidentes de viação;
Regulação e fiscalização do trânsito rodoviário e pedonal;
Vigilância nos transportes urbanos locais, nos espaços públicos ou abertos ao público, designadamente nas áreas circundantes de escolas, e guarda de edifícios e equipamentos públicos municipais;
Execução coerciva, nos termos da lei, dos actos administrativos das autoridades municipais;
Adopção das providências organizativas apropriadas, aquando da realização de eventos na via pública que impliquem restrições à circulação, em coordenação com as forças de segurança competentes, quando necessário;
Detenção e entrega imediata, a autoridade judiciária ou a entidade policial, de suspeitos de crime punível com pena de prisão, em caso de flagrante delito, nos termos da lei processual penal;
Denúncia dos crimes de que tiverem conhecimento no exercício das suas funções, e por causa delas, e prática dos actos cautelares necessários e urgentes para assegurar os meios de prova, nos termos da lei processual penal, até à chegada do órgão de policia criminal competente;
Elaboração dos autos de notícia, autos de contra-ordenação ou transgressão por infracção às normas regulamentares municipais, às normas de âmbito nacional ou regional cuja competência de aplicação ou fiscalização pertença ao Município e às decisões das autoridades municipais;
Elaboração de autos de notícia por acidente de viação, quando o facto não constituir crime;
Elaboração dos autos de notícia, com remessa à autoridade competente, por infracções cuja fiscalização não seja da competência do Município, nos casos em que a lei o imponha ou permita;
Instrução dos processos de contra-ordenação e de transgressão da respectiva competência;
Execução de acções de polícia ambiental;
Execução de acções de polícia mortuária;
Fiscalização do cumprimento dos regulamentos municipais, e da aplicação das normas legais, designadamente nos domínios do urbanismo, da construção, da defesa e protecção dos recursos cinegéticos, do património cultural, da natureza e do ambiente;
Garantia do cumprimento das leis e regulamentos que envolvam competências municipais de fiscalização;
Exercício de acções de sensibilização e divulgação de matérias de relevante interesse social, designadamente de prevenção rodoviária e ambiental;
Participação no serviço municipal de protecção civil.

quarta-feira, junho 04, 2008

Polícia Municipal: o que pretendemos para o futuro?


Criação da Polícia Municipal
O que será Preferível, Polícia Municipal ou Boletim Municipal?

A JSD Seixal lançou hoje mais uma campanha e um novo Outdoor, desta vez subordinada ao tema da segurança e da fiscalização do cumprimento dos regulamentos municipais, com a proposta de criação da Polícia Municipal do Seixal.
A JSD Seixal tem acompanhado ao longo dos últimos meses, com preocupação, as notícias referentes aos níveis de insegurança no nosso concelho, as dificuldades que têm surgido no concelho do Seixal em acompanhar o cumprimento dos regulamentos municipais e a necessidade de aumentar o policiamento junto dos estabelecimentos de ensino – onde a insegurança é uma realidade por demais evidente.
A JSD Seixal, no passado mês de Abril reuniu com o Intendente Fernando Pinto, que nos revelou que os meses de Fevereiro e Março foram meses de grande insegurança no nosso concelho. O aumento de polícias nas ruas, que iria acontecer com a criação da Polícia Municipal, ajudaria a reforçar o clima de segurança no concelho, referiu o mesmo.
A JSD Seixal, reconhecendo as dificuldades financeiras inerentes à manutenção deste projecto propõe e tendo em conta o período difícil que se vive em termos de insegurança no país todo, que a Câmara Municipal extinga o Boletim Municipal (que não traz nada ao nosso concelho para além de propaganda ao executivo CDU) para a criação desta polícia.
A Polícia Municipal em concelhos como Matosinhos tem um custo de apenas 317.500 € sendo o custo do Boletim Municipal no Seixal superior a 500.000 €.
Tendo em conta esta situação, a JSD Seixal deixa o desafio ao executivo municipal, aos Partidos Políticos no Seixal, à Comunicação Social e principalmente aos Eleitores:

O que será preferível, Boletim Municipal ou Polícia Municipal?
Para a JSD a resposta é óbvia.

terça-feira, junho 03, 2008

Empréstimo

Ontem foi aprovado mais um emprestimo da CMSeixal (mais de 10.000.000 €) na Assembleia Municipal do Seixal.


A bancada do PSD na Assembleia Municipal votou contra. E votou contra essencialmente por duas questões base:

- Este empréstimo acaba por ser essencialmente para obras já orçamentadas (55%), que ou já deveriam estar concluídas ou deveriam acabar em breve. Se por acaso a lei das finanças locais não é alterada, permitindo às autárquicas o endividamento, provavelmente estas obras nunca seriam terminadas pois sem esta verba seria impossível o seu términos.

- A segunda está relacionada com a ligeireza com que a Câmara Municipal se relaciona com este tipo de assuntos. Parece que é a praticamente um ano de eleições que o PC se lembra de fazer empréstimos para 18 anos. Ou seja, durante um ano vão-se condicionar os próximos executivos municipais durante os próximos 17 anos. Mas o que choca mais o PSD é a falta de Planeamento, as decisões são tomadas sem uma visão a longo prazo, pois o ano passado foi contratualizado um empréstimo, este ano faz-se outro, e se for necessário daqui a 3 meses fazem mais um, uma autentica "navegação à vista"

segunda-feira, junho 02, 2008

domingo, junho 01, 2008

Eleições PSD 2008: Balanço final


Analise Política das Eleições

Após estas eleições, creio que se pode afirmar desde já vários aspectos positivos.


1º Existiu uma forte participação nas eleições por parte do eleitorado


2º A campanha, o debate e as eleições propriamente ditas foram mediatizadas pelos vários órgãos de comunicação.


3ª Não houve quaisquer problemas a nível de jurisdição nestas eleições.


4º Houve candidatos em quantidade e qualidade, tendo qualquer dos 3 principais candidatos, Manuela Ferreira Leite, Pedro Passos Coelho e Pedro Santana Lopes possibilidades de virem a ser fortes candidatos a 1º Ministro de Portugal.


De certo modo todos eles ganharam nesta tarde, uns mais que outros obviamente…


Começando pela vencedora Manuela Ferreira Leite:


· Foi a candidata vencedora com o maior número de votos.


· Manteve-se coerente em toda a campanha por dizer pouco e bem.


· Soube reunir-se de pessoas capazes de formar uma boa comissão política nacional.


· Ao ficar abaixo dos 40% dos votos, mostrou dificuldades em unir o partido em torno de si, fazendo gorar as expectativas que porventura foram criadas no inicio da sua candidatura.


· Desde já ficam aqui os parabéns pela vitória.


Pedro Passos Coelho:


· Um autêntico outsider, que por vontade própria esteve afastado da política durante muitos anos, conseguiu 31% dos votos, ficando a cerca de 6% de Manuela Ferreira Leite.


· Jovem, com ideias novas e com uma boa imagem.


· Partiu com uma desvantagem considerável para Manuela Ferreira Leite e Pedro Santana Lopes e aos poucos e poucos conseguiu ganhar espaço político, fazendo os apoiantes acreditar na vitória.


· Pode ter perdido as eleições, mas o PSD ganhou um possível futuro líder.

Pedro Santana Lopes:

· Quando todos o consideravam “morto”, ele volta para mais uma batalha, esgrimindo a sua retórica com classe.


· Igual a si próprio, populista e com dinâmica e vigor


· Consegue apesar de todos os defeitos de que é apontado, têm um resultado que embora de 3º Lugar, angaria uns expressivos 30% dos votos.


· Se tivesse 10% ou 15% ai sim teria sido o fim, assim, ele vai continuar a “andar por aí”.