segunda-feira, maio 12, 2008

É por esta e por outras...

Segundo esta notícia do jornal on-line, IOL, os deputados do PS já registaram mais de 500 faltas nas sessões plenárias, só nesta sessão legislativa...
O mais grave de tudo, é que parece que o PS nem é o partido mais faltaso, porque segundo este mesmo jornal, a lista de faltas é encabeçada pelo PSD!
É por esta e por outras que depois temos de ler estas notícias sobre o alheamento dos jovens da política.

8 comentários:

Daniel Geraldes disse...

EU explico este alheamento de outras formas, acho que as faltas dos deputados tem muito a ver com a organização da nossa Assembleia da República.

Quanto ao alheamento dos jovens, não é só da política, é tambem da relegião, dos compromissos cívicos, das associações voluntarias, etc,etc,etc.

Alias eu gosto sempre de contar esta historia que ouvi por parte de uma sra mais velha, já de sua idade, que me disse:

- Que antigamente no tempo em que os senhores usavam chapeu, como parte da sua indumentaria, que cada vez que um destes senhores se cruzava com uma senhora grávida, retirava o chapeu da sua cabeça para a cumprimentar, independentemente de a conhecer, da sua condição social, da sua raça, ou dos seus credos, e o motivo era tão simples e tão nobre.
É que aquela senhora gravida era a mãe de um Futuro Português.

Anónimo disse...

No seixal devia-se tirar o chapeu duas vezes:

Porque é um futuro portugues comunista...

JS Seixal disse...

Este é um assunto preocupante, em relação ao exemplo que estes senhores dão aos jovens e a toda a sociedade democrática. Algo está mal organizado para que tal se suceda sem penalizações.
Em relação ao estudo sobre o envolvimento dos jovens na política, ler mais em HTTP://js-seixal.blogspot.com

É importante que os jovens interessados e activos politicamente debatam esta questão e que procurem soluções.

Anónimo disse...

É por estas e por outras.... tais como o facto de conotarem toda uma estrutura da JSD no apoio à companheira Manuela Ferreira Leite, sem terem em conta as opiniões individuais de cada um, que os jovens estão cada vez mais afastados da política.
E depois queixam-se que ninguém os ouve e que isto está mal e que é preciso reforçar os quadros.
Pois é, apregoar a democracia é muito bonito, mas quando toca à nossa casa.....
Continuem assim..... barõezinhos

Anónimo disse...

Estou estupefacto com a afirmação da Dra. Manuela Ferreira Leite hoje ao JN de não assumir, com clareza e naturalidade, que votou PSD no combate duríssimo que o partido travou contra o Eng. Sócrates em 2005! O que na prática é o mesmo que dizer que não votou PSD - o inverso não seria nem segredo nem suscitaria espanto. Ora esta confissão, sendo grave qualquer que fosse o militante, é impensável para uma militante candidata a líder. Porque sobretudo para militantes com especiais responsabilidades, o amor ao PSD não pode ser circunstancial, dependendo de quem exerce o poder em cada momento.

Anónimo disse...

A candidata Manuela Ferreira Leite não quer discutir propostas concretas para o país nas directas do PSD, acha que deve guardar tal discussão para o confronto com Sócrates. Manuela Ferreira Leite acha que devia existir uma lei que proibisse os politicos de prometerem baixar os impostos em campanha eleitoral. Manuela Ferreira Leite só aceita debates onde todos os candidatos estejam presentes - que é o mesmo que dizer que não quer debater grande coisa. Manuela Ferreira Leite "obviamente que não" responde à pergunta se votou Santana Lopes em 2005. Manuela Ferreira Leite "vai fazer a experiência" de dizer a verdade aos eleitores. Para quem parece ter tão pouco a dizer, é fácil só dizer a verdade.

Anónimo disse...

Se bem me lembro, foi a Drª Manuela Ferreira Leite enquanto Presidente da Distrital de Lisboa que convidou (desafiou) o Dr. Pedro Santana Lopes para se candidatar à Câmara da Capital.

Resta saber se essa "escolha" foi feita com convicção ou se era apenas um presente envenenado.

O que é certo é que PSL ganhou, sem ajudas, e ela recolheu os lourozinhos, vindo mais tarde a incompatibilizar-se, sabe-se lá porquê.

Seria interessante que ela explicasse quais as razões porque passou a estar de costas para PSL, pois de contrário poder-se-ão tirar várias ilações pouco abonatórias para ela própria.

De resto, e independentemente de ela ter votado no PSD em 2005, o grave foi a contra-campanha que fez, acompanhada pelos cavacos, os pachecos e os barões assinalados, que muito contribuiram para a nossa derrota eleitoral.

É sempre útil não esquecer nem branquear o passado.

Anónimo disse...

Os comentários que acabo de ler provam que não estamos perante uma candidatura de união do partido.
Temo pelo futuro do nosso PSD que se esta candidatura vencer, iremos estar perante o surgimento de milicias internas.
O PSD necessita de estabilidade, se no inicio parecia que a vitória para Ferreira Leite eram favas contadas, hoje sabemos que não é bem assim, e que existem muitos anti-corpos contra esta candidatura.
A todos preocupa o afastamento dos jovens da política, pergunto com muita sinceridade e não querendo ser de modo algum provocativo, se a JSD Seixal acha convictamente que é com uma candidata como a Dra. Manuela que estes se irão aproximar?
Espero que reflitam sobre tudo o que tem vindo a ser escrito neste blog sobre as eleições internas. Mudar de opinião é legitimo quando não estamos no rumo certo.
Vamos todos pensar no PSD como um todo, do qual todos nós somos parte, sejamos menezistas, barrozistas, cavaquistas, santanistas, ferreiristas... etc, somos todos parte da mesma equipa.