sexta-feira, maio 16, 2008

Passeios pela Rede Natura 2000 e a Verdizela!

A Câmara Municipal do Seixal realizará no próximo dia 24 de Maio um passeio pedestre pela Rede Natura 2000.
Engraçada esta notícia e iniciativa da CMS, em particular se confrontada com o que se está a passar na Verdizela (assunto que pretendemos desenvolver com mais detalhe nos próximos dias).
As palavras para qualificar o que se passa no concelho do Seixal começam a deixar de ser suficientes. Enfim…

3 comentários:

Daniel Geraldes disse...

Acho que sobre o tema da Verdizela, devia-se consultar o blog A-Sul visto que ele tem uma visão do tema com a qual eu me identifico bastante, em relação á CM Seixal e á sua atitude, mais uma vez, é vergonhoso o que estes senhores fizeram com o Concelho, isto até ao antigo regime envergonhava. Lamentavel, de facto.

rita disse...

Boa tarde,

Escrevo para a vossa rubrica em nome de todos os moradores da Verdizela, concelho do Seixal, Setúbal.

A zona onde vivo encontra-se rodeada de herdades e redes naturais que supostamente estão protegidas de qualquer destruição.

Mas, desde cerca do mês de Abril que temos vindo a presenciar a destruição maciça de área florestal sem qualquer aviso prévio. Após a indignação de muitos moradores conseguimos averiguar que está prevista a construção de uma nova urbanização denominada de Altos da Verdizela. Acontece que, este corte de árvores tem acontecido em distintas zonas, uma delas a cerca de 3 metros do limite das propriedades dos moradores, com o intuito de ser construída ali uma estrada dentro de uma zona qualificada como espaço verde e fora da propriedade onde se vai edificar o novo empreendimento.
Esta estrada tem cerca de 14 metros de largo, mais separador central e 4 faixas de rodagem, e em alguns pontos acima da cota de soleira das mesmas, ou seja mais alta que o nível dos telhados.

Acontece que este corte de árvores foi efectuado de forma ilegal pois, o terreno pertence á Rede Natura e como tal, a empresa ALVES RIBEIRO não possui qualquer poder sobre os terrenos.

Ainda a acrescentar que em reunião de Câmara (C.M.S.), efectuada a pedido dos moradores da Verdizela, o presidente afirmou desconhecer o traçado final desta estrada.

Está também a ser alvo das nossas atenções o facto do Saneamento desta nova Urbanização não ter projecto da especialidade no que toca à ligação dos ramais colectores quer das águas pluviais quer dos Esgotos à rede Camarária. Configurando-se deste modo um cenário catastrófico de inundação, principalmente para a zona mais baixa da Verdizela, que conflui com a zona de drenagem das águas pluviais da Verdizela Original com a nova urbanização.
Como isto representa um sério e grave problema quer ambiental quer económico, para toda a comunidade de habitantes da Verdizela e zonas circundantes, só com a voz de todos em uníssono é que poderemos alterar o curso dramático dos acontecimentos.

Outra questão que também nos preocupa bastante neste momento é a de este empreendimento significar a concretização de 7 FASES construtivas que prevê no total 30.000 FOGOS (entre apartamentos, moradias em banda, geminadas e isoladas).
Irá desde a Verdizela, passará a sul de Belverde, Foros da Amora e vai até Fernão Ferro. Encostando no limite Sul com a Quinta da Apostiça e com o Concelho de Sesimbra.
Tudo isto em espaços Verdes do Plano Director Municipal.
Tudo isto será construído em terrenos privados que serão urbanizados e que ficará a CMSeixal com inúmeros metros quadrados de áreas de cedência.

O que nos assusta não é a primeira fase, que nos asseguraram apenas ter 600 fogos... o que mais assusta são as restantes fases! Pois num concelho com 170.000 habitantes e atendendo a uma média de 3 a 4 moradores por fogo estamos a falar de uma nova cidade com 90.000 a 120.000 novos habitantes. Com o índice de ocupação actual e com a taxa de natalidade a diminuir de onde surgiram estes novos Moradores?

Ao fim de praticamente um mês de derrubes conseguimos parar os cortes devido á presença de várias ilegalidades ... mas é bastante triste verificar esta situação e pensar que vivemos num País que se vende facilmente...

Como é possível que uma zona tão extensa de área florestal não seja protegida e seja assim vendida para dar lugar a um amontoado de cimento...
Será que queremos continuar a viver num País em que não se pensa num futuro, na natureza mas sim, apenas e só na lei do dinheiro?!!

Peço atenciosamente que se puderem divulgar esta situação o façam com a maior brevidade e que comuniquem ao País o que se passa aqui.

Nós continuaremos a nossa luta e esperamos conseguir alterar o rumo das coisas de modo a continuar a usufruir da qualidade de vida até aqui alcançada...



Junto anexo algumas ligações que podem esclarecer melhor a situação,

http://verdizelaviva.blogspot.com/2008/05/reunio-espontnea-11-maio-2008.html


Projecto da Urbanização da Empresa

Grupo BCLC - projecto urbanístico

http://www.bclc.pt/portfolio_pt.html


Atenciosamente,

Rita Algarvio

Marlene Pires disse...

É incrivelmente deprimente!