quarta-feira, maio 14, 2008

Mercado Imperfeito

Como sabem, sempre fui defensor de uma economia de mercado livre de monopólios, defendo uma liberalização de praticamente todo o mercado.
Mas também como sabem, a liberalização dos mercados para ter benefícios para os consumidores, só terá sucesso se existir uma livre e vasta concorrência.
Infelizmente às vezes isso não acontece, como é o caso do Mercado de Energia e alguns bens públicos.
E quando estamos perante um mercado livre, é preciso dar poder aos agentes reguladores da economia para os mesmos actuarem em consonância com a lei, para um dia talvez chegarmos algo parecido com o que se chama Mearcado Perfeito







Ontem, como também sabem o crude bateu máximos históricos sendo esta parte da explicação do nosso problema.
Hoje, às 00:00 os preços subiram pela 15 vez este ano.
Hoje, às 00:00 registou-se mais um aumento do preço dos combustíveis.
Hoje, às 00:00 todas as grandes companhias (GALP, BP e RepSol) registaram um aumento muito semelhante do preço dos combustíveis.
Perante estes factos deixo as seguintes perguntas:
Será que os Stocks das companhias são iguais e terminam todos na mesma altura? Sendo por isso que todas elas (com excepção das mais pequenas (em Portugal não no mundo) como por exemplo a Total ou a Cepsa) aumentam o preço à mesma hora e no mesmo dia?
Será possível que as Gasolineiras pratiquem todas a mesma margem?
Ou será que estamos perante uma concertação de preços destas mesmas gasolineiras?

8 comentários:

Daniel Geraldes disse...

O mercado português tem uns problemas estruturais e que são de muito dificil resolução:

- A Galp é o market maker

- É fácil provar que as empresas de Sal funcionaram em cartel, mas já provar que as gasolineiras funcionam é impossivel.

- A Galp é ao mesmo tempo player e agente de mercado, player porque compete no mercado e agente porque o petróleo passa pelas suas refinarias antes de ser vendida aos outros players.

- O ISP é demasiado elevado, demasiado mesmo.

- E a nossa economia é dependente em petróleo cerca de 60%, ou seja, somos sempre obrigados a consumir.

- E nós portugueses somos uma sociedade burguesa, e promovemos mais o automovel particular do que os transportes publicos.

Cumprimentos.

João Prelhaz disse...

Das palavras que o Daniel apenas 3 pontos estão totalmente correctos.
Ponto 1 - temos os valores dos combustiveis mais altos que Espanha devido ao ISP (Imposto sobre Produtos Petroliferos), valores de isp que podemos facilmente dissecar. Apenas que referir ainda que os impostos (ISP e IVA) significam cerca de aprox. 60% do preço final dos combustiveis.
Ponto 2 - Somos ainda uma sociedade totalmente "comodista" que prefere o automovel particular aos transporte publicos (embora este ainda sejam um pouco deficitários em qualidade e locais de destino, mas nos ultimos anos temos evoluido muito positivamente).
Ponto 3 - Caros, para quem acompanha minimamente o mercado, os preços resultam da evolução do mercado das "comodities", em que tanto o petroleo (materia prima) e os produtos (gasolina, gasoleo, etc..) são diarimante transaccionados e este tem vindo a aumentar constantemente, fruto de um especulação que se tem verificado no mercado e o chama "fim da energia barata" (não existe falta de petroleo, apenas existem mais consumidores, casos da china e india, e existe mais dificil acesso a esta materia-prima). Cabe sim, ao nosso País apostar numa estratégia de se tornar mais independete do petroleo através de outras fontes de enegia (energia renováveis).

Assim, a galp e as outras petroliferas fazem reflectir estas condições de marcado no preço final, assim como acontece noutros preços, como o pão, leite, que também atingiram valores históricos nos mercados internacionais.

Espero ter sido claro...

Pina Martins disse...

Caro João,

Permite-me discordar esclarecer um ponto:

Como sabes, em Portugal, o Preço ANTES de Impostos dos combustíveis é o 3º mais alto da UE a 15.

Como sabes também, os ordenados dos empregados que estão nos postos em Portugal são dos mais baixos da UE a 15.

Como sabes também, os terrenos para implementação dos postos de combustíveis também não são nem de perto nem de longe os 3ºs mais caros da UE a 15.

Será que as Gasolineiras são assim tão inocentes?

João Prelhaz disse...

Miguel

Tenho algumas duvidas que os nossos combustiveis sejam os 3ºs mais caros da UE15. Esses estudos são muito jornalisticos e um pouco duvidosos...posso te provar com cotações oficiais o contrário...em publicações oficiais de preços de mercado.
Claro que a galp e restantes gasolineiras, como qualquer outra empresa tem a sua margem de lucro, embora a grande fatia dos lucros da Galp vêm da refinação (não as vendas a retalho) e da exploração (poços de crude que possui em Angola e Brasil) e acredita que não assim tão grande...podemos fazer as contas...e não é como o Guterres...

Caso queiram posso clarificar mais ainda....

João Prelhaz disse...

Apenas me esqueci de referir outra coisa....também não somos os mais baratos da UE15....

Mais uma vez volto a referir, talvez tenhamos impostos (IRC) demasiado alto....e isso repercute-se no preço final...

Apenas queria referir que muitas vezes os jonalistas (mesmo do jornal de negócios) fazem análises economicas erradas...comparem se puderem com os mesmos assuntos mas na reuters....

Pina Martins disse...

Caro João,

Não duvido nada nas noticias menos verdadeiras de alguns jornais, mas não estamos de forma alguma a falar de noticias economicas.

Convido-te a ti e a todos os interessados em ler esta noticia em que a fonte é unica e exclusivamente a Autoridade da Concorrencia.

Também não confias na AdC?


http://dn.sapo.pt/2007/03/20/economia/combustiveis_mais_caros_que_a_media_.html

Pina Martins disse...

Link:

http://dn.sapo.pt/2007/03/20/economia/combustiveis_mais_caros_que_a_media_.html

e

http://diarioeconomico.sapo.pt/edicion/diarioeconomico/nacional/economia/pt/desarrollo/1103958.html

Pina Martins disse...

Não estou a conseguir passar o link por isso façam assim:

no google procurar por:

"combust mais caro da europa"

e é logo a primeira a segunda e a terceira noticia.