quarta-feira, maio 21, 2008

Novo Empréstimo de 10.000.000€ da Câmara Municipal do Seixal


A Câmara Municipal do Seixal prepara-se para se endividar em 10.000.000€ num empréstimo a pagar nos próximos 18 anos!


Uma autentica loucura financeira a maneira como se hipoteca o futuro das gerações vindouras usando a quase totalidade dos limites estabelecidos na lei e por coincidência à um ano das próximas eleições autárquicas.


Quem é que vai pagar a factura? Será o Sr. Presidente da Câmara à arcar com as responsabilidades? Qual é a viabilidade financeira para se pagar esta e outras tantas dívidas?


Mais uma vez vamos ser nós cidadãos a pagar pelos erros que estes senhores que ocupam o poder e, como se diz na gíria popular, andam a atirar dinheiro à rua!!!

10 comentários:

Mauro Santos disse...

Já era de esperar algo do género antes das eleições...

Daniel Geraldes disse...

Dividam este montante por 18 anos e acrescentem um spread de 1% e vão ver o valor da divida nivelada por baixa, estes comunistas não tem a noção do dinheiro, não podem ter!!!!

Marlene Pires disse...

Concordo que é de loucos um empréstimos assim! E a imagem não podia ser melhor.

Pina Martins disse...

O pior é que cerca de 60% deste emprestimo é para pagar obras que já tiveram verba noutros orçamentos...

Ou seja, aparentemente este emprestimo serve para "Tapar" alguns buracos.

Irei ter reunião da Comissão Especifica de Economia e Finaças para a semana e depois terei oportunidade de falar um pouco mais sobre este emprestimo.

Filipe Farinha disse...

Então se se este empréstimo "jumbo" é para pagar obras que já teriam verbas destinadas em orçamentos anteriores, para onde foram as verbas que lhe estavam destinadas inicialmente?Já se adivinha uma corrida de obras e inaugurações com os 40% restantes...

Marlene Pires disse...

Isso então é grave! Porque sinceramente a CMS devia prestar contas e explicar isso! Não percebo quem é que ainda faz empréstimos à CMS sabendo que está em falência..

Pedro Sousa disse...

É impressionante a falta de respeito deste executivo pelos cidadãos que os elegem! Aparte do empréstimo em si, que apenas evidencia a má gestão da CMS e que condiciona o desenvolvimento sustentável do município no futuro. É tão ou mais grave, que se vejam verbas a desaparecer e não Se vejam investimentos feitos! O desleixo com que a CDU tem gerido o seixal é perturbador. De facto, não existe nada no seixal que se possa dizer que de facto para ali foram investidos milhares de euros mas que apesar de tudo compensa. semelhança do que já foi dito…para onde vai então o dinheiro?

Anónimo disse...

É realmente caso para perguntar para onde vai o dinheiro. No seixal cada vez tudo é mais feio. Os canteiros os passeios tudo com lixo os bancos metade stão partidos, as obras por acabar para onde vai o dinheiro?

Samuel Cruz disse...

Uma pequena correcção, o limite de endividamento não está próximo de ser atingido, com este empréstimo é ultrapassado num pouco de mais de 600.000 Euros.
Isto porque no cálculo do limite de endividamento ainda não aparece o empréstimo de 7 milhões de Euros aprovado em Junho passado.

Paulo Assunção disse...

Vamos lá ver uma coisa: os empréstimos são para se fazer. O empréstimo, per se, não é necessáriamente mau, seria o mesmo que dizer que investir se limitaria a perder dinheiro, quando na verdade, se for bem feito, permite um desnvolvimento mais rápido e sustentado. Assim, quando pedem, por exemplo, um empréstimo para comprar uma casa não estão a hipotecar o vosso futuro mas sim, de uma forma consciente e razoável, a ganhar um melhor nível de vida pagando-o em condições que sejam razoáveis, se forem bem analisadas e discutidas.

A questão que fica é portanto: serão as condições de pagamento razoáveis? Estaremos de facto a hipotecar o nosso futuro, ou por outro lado não estaremos antes a dar um grande passo na construção desse mesmo futuro? Para o dizer, é preciso uma análise mais cuidada dos números e condições, coisa que, pela omissão no post, calculo que não tenham feito.

O segundo ponto é que o valor de um empréstimo depende muito da capacidade económica e financeira da entidade. Se uma pequena empresa receber um empréstimo de 50.000€ pode ser extremamente arriscado; o mesmo não acontece se for uma grande empresa, uma Câmara, o Estado ou outra qualquer entidade com capacidade robusta! Além disso a Câmara, que eu saiba, não está em falência nem nada que se pareça. Acho óptimo que se dêm ideias novas no blogue, mas não se pode pura e simplesmente fazer um alarido ou levar a sério cada comentário, há que investigar! Devemos ser sérios em tudo o que fazemos, especialmente na política, sob o risco de cairmos em descrédito.