sábado, janeiro 10, 2009

Verde? Qual verde...

Em Maio do ano passado, o Secretário de Estado do Ordenamento do Território e das Cidades, João Ferrão, apelou aos autarcas portugueses para investirem mais em espaços verdes “para compensar a malha urbana construída”. Disse também que gostaria "que em todos os municípios houvesse um empenho muito forte em multiplicar os espaços verdes, tendo sempre em atenção uma componente de natureza ambiental e social”, disse João Ferrão, em declarações à Agência Lusa. Segundo o secretário de Estado, “não se pode perder a ideia de que os jardins, do ponto de vista social, são também lugares fundamentais, onde as pessoas se encontram e convivem”.
Não era preciso que o Secretário de Estado nos viesse dizer isto. Todos nós o sabemos perfeitamente, há muito tempo. Talvez com a excepção da nossa Câmara Municipal do Seixal... Ao longo destes anos de executivo comunista nos órgãos autárquicos, a aposta forte tem sido precisamente... no betão. Consigo compreender os verdadeiros motivos que a essa situação levaram, mas isso não os transforma em justos. E justo, na política, é servir bem os cidadãos.
Pior: aquilo que se tem feito no concelho do Seixal, desde a democratização do Poder Local, é um claro exemplo daquilo que não deve ser feito. Se há coisa em que o Seixal tem sido bom, é a ensinar aos outros de que forma não agir.
De facto, o ordenamento do território e as políticas de urbanismo têm sido assustadoras. É impressionante observar o concelho inteiro (ou quase) e vermos que nos deparamos com absurdos urbanísticos a cada passo dado. Nem as regras mais básicas de política de construção foram cumpridas. A lei foi sempre a da "balda".
Uma má política urbanística traz consigo outros problemas, como a insegurança (que hoje sofremos diariamente na pele, apesar de há 30 anos, quando se começaram a criar estes problemas, ninguém os ter previsto), má política de habitação e péssimas condições ambientais.
É ridículo que, ao fim de tantos anos, o concelho do Seixal não possua um espaço de dimensões consideráveis, de lazer, com carácter ecológico e ambiental. O Parque Urbano das Paivas é a grande obra que têm para nos dar. Mas continuo sem saber por que razão a maioria dos espaços aproveitáveis para criação de zonas verdes vai direitinha, rindo e folgando, parar às mãos de um qualquer construtor civil.
Cá estaremos para que a população julgue tudo isto.

6 comentários:

Carla F. disse...

O lamentável, é que o nosso concelho tem tanto potencial!! Com aquela baía só deveríamos fazer por tornar o nosso concelho um lugar mais agradável, onde as pessoas podem sair, passear, arejar, distrair, brincar...
Um passeio ao ar livre levanta logo o astral de uma pessoa!!
É certo que temos o jardim dos franceses, aquele a que muitas pessoas apelidam de "jardim do fórum". E é bom, e as pessoas deslocam-se até lá... Mas é pequeno e precisamos de mais e maior!! Ter apenas dois espaços verdes no concelho do Seixal e cuja dimensão não é grande não chega!!!

Beatriz Ferreira disse...

O problema do Seixal é o sub-desenvolvimento a que tem sido submetido pela Câmara Municipal. Não há a minima consideração pelo ambiente e pelo espaço comum. Constroi-se uma cidade que não serve os seres humanos, que não é sentida pelos seres humanos e só serve para poluir a mente dos seres humanos. É pura falta de consideração pelos cidadão e só torna o dia-a-dia cada vez mais dificil. E por falar em poluição e em ambiente, a maioria dos esgotos no Seixal nem se quer são são tratados.

É bom levantar estes problemas num país que só pensa em dinheiro. Bom trabalho JSD!

Daniel Geraldes disse...

Como disse no outro dia, até o Marquês de Pombal teve mais visão há 3 seculos do que tem este executivo.

Mas continuando, o potencial da nossa Baía foi claramente potencializado pelos construtores civis, andando um pouco pela marginal do Seixal o que se vê são só predios em construção e pouco mais, o potencial da nossa baía nao foi a promoção do ambiente, da baia como local turistico, não foi uma grande prova desportiva, não foi a promoção como um local de lazer, foi a promoção do Imobiliario, unica e exclusivamente. Parabens Sr. Vereador do Urbanismo.

E em relação aos espaços verdes, eu tenho um sonho, que com este executivo se torna mais numa utopia, que é requalificar a antiga zona da siderurgia nacional num Seixal Park. Mas eu explico melhor para percebermos o alcance do meu sonho, em Nova Iorque temos o Central Park, em Londres temos o Hyde Park, e como na AM de Lisboa não temos nenhum jardim de dimensões ambientais, no Seixal para requalificar o enorme passivo ambiental e de betão, nós evoluiamos para o futuro e na antiga zona da siderurgia nacional em vez de construirmos mais um complexo habitacional faziamos o Seixal Park.

Beatriz Ferreira disse...

Seixal Parl parece-me uma ideia exelente e uma proposta com possiblidades de aplicação bastante real. Seria uma forma de equilibrar o sistema urbano de toda a margem sul. Se a apresentarem à Camara Municipal ainda é capaz de ser chumbada e apliacada por eles um mês depois lol

Bom trabalho

Carla F. disse...

Isso sim seria um investimento VERDE!!

Daniel Geraldes disse...

A ideia é exactamente essa Beatriz, mas duvido que com este executivo seja uma ideia que tenha pernas para andar. Eu gostava que o Seixal fosse verde e não apenas betonado!!!