domingo, janeiro 11, 2009

O Seixal Real

Curiosamente, este Seixal com barcos em avançado estado de decomposição e na nossa Baía não aparecem no Boletim Municipal, e talvez não aparecem porque estão por trás da Quinta da Atalaia, ao pé do (Antigos) Estaleiros da Amora. Voltarei mais tarde a este assunto. Mas para ter uma noção do que lhe falo, e como aqueles estaleiros se encontram em propriedade privada o Microsoft Maps ajuda-nos a ver de cima o cemitério de barcos em decomposição que é a nossa Baía, mas para se situar melhor no Microsoft Maps comece a pesquisa junto ao estádio da Medideira e continue sempre junto á estrada que segue a marginal junto á Baía, até encontrar esta vergonha do Seixal comunista.

3 comentários:

Anónimo disse...

parece que mais uma vez os mandandos pelo comité central estão calados que nem ratos.

Não há nada a dizer para além de concordar?

E como quem cala consente...

Carla F. disse...

É que o problema não é o facto de estes barcos ficarem "feios" na Baía do Seixal, mas estarem em elevado estado de decomposição. O facto é que estes barcos estão ali há anos, e são constantemente erodidos pela água e sedimentos que entram em contacto com estes, como resultado desta erosão vão sendo libertados para a água óxidos de ferro (devido à ferrugem e não só), chumbo (pois muitos barcos são revestidos a chumbo), entre outros metais... Além de que quando, como resultado da erosão se abrem rombos nos barcos saem de lá todo o tipo de óleos. Por isto e muito mais, estes barcos não são só desagradáveis à vista de quem mora e passa no Seixal, como são uma grande fonte poluidora da nossa Baía.
Cada vez mais se nota que no Seixal as boas políticas ambientais não são uma prioridade!!

Filipe Farinha disse...

Este é um assunto sobre o qual já gostaria de ter postado. Esse depósito de navios já foi alvo de uma reportagem da Rtp1 (ou 2 ) em 2003 ou 2004 tendo sido, se bem me lembro, apontado como um local a visitar...Tendo já visitado este local bastantes vezes, sei por experiência própria que é um local recheado de perigos. Entre outros, encontram-se expostas antigas docas secas que se encontram hoje repletas de lodo e vários navios encontram-se apenas com a parte exterior da superestrutura. Tal perigo coloca-se porque, como pude em tempos verificar, este espaço era o recreio de algumas crianças que viviam perto dos estaleiros.É ainda de referir a presença, neste espaço, de uma réplica de uma nau dos Descobrimentos, semi-destruída, que terá, segundo a reportagem atrás referida,participado na Exposição do Mundo Português em 1940