sexta-feira, novembro 28, 2008

Situação financeira "é insustentável


Sai esta noticia no Expresso:

O PCP admite que a sua situação financeira "é insustentável", mas o secretário-geral dos comunistas pretende que "a situação de tesouraria" seja resolvida mantendo "intocável" o "valioso património" do partido.
A situação financeira é má, as teses a apresentar ao congresso nacional do próximo fim-de-semana admitem resultados negativos de 2,1 milhões de euros, mais de 500 mil euros/ano de 2004 a 2007,e Jerónimo de Sousa defende que é preciso "esforço" e "criatividade" no financiamento do partido.
"Temos de resolver a situação de tesouraria com meios próprios, mantendo esse património que é herança de milhares de militantes que contribuíram para que aqui chegássemos", afirma Jerónimo de Sousa.
O líder comunista admite que o PCP é "um partido com um valioso património - o prédio da sede nacional, em Lisboa, a Quinta da Atalaia, Seixal, onde se realiza anualmente a festa do 'Avante!', e centenas de sedes de Centros de Trabalho espalhados pelo país". Esse "património muito valioso" deve "ser intocável", acrescenta.
De 2004 a 2007, lê-se nas teses, as contas do "partido da classe operária e de todos os trabalhadores" apresentaram "resultados negativos", sendo o "resultado operacional" negativo de 2,1 milhões de euros, mais de 500 mil euros/ano. "A situação actual é insustentável, exigindo o apuramento de orientações" no futuro próximo, lê-se no projecto de resolução política.
As teses propõem, entre outras medidas com vista ao "equilíbrio financeiro", um "aumento das contribuições de eleitos e membros do partido nomeados em cargos públicos" e um aumento do valor da quota, "tendo como referência 1% do vencimento (ou remuneração)" do militante.
É ainda proposto que se responsabilizem "mais camaradas" pela cobrança das quotas em todos os organismos, "tendo como referência um para cada 20 membros do partido", apelando-se ao pagamento por transferência bancária e por Multibanco. A proposta sugere uma política de "gestão, contenção e mesmo redução de despesas", em especial de "custos de estrutura" que não "implicam directamente com a acção política".

Em suma: O património é intocável... Mas aumentar nas quotas já se pode tocar! Quase que parece um governo PS!

9 comentários:

Daniel Geraldes disse...

É verdade Marlene, o PCP quase que parece que ja aderiu ao Capitalismo.

Anónimo disse...

A marlenezinha está muito preocupada com o PCP, porque não entra para militante? É que os assuntos internos do PCP interessam aos seus militantes e não hás marlenezinhas que por aí polulam!

Nuno Gonçalo Poças disse...

O que vale é que os assuntos internos do PSD interessam a todos, inclusive à enorme família de Anónimos que por aqui vai passando...

Haja coerência, sr. Anónimo.

João disse...

Peço desculpa, mas se este artigo foi publicado no Expresso é porque não interessa só aos militantes do PCP, mas sim a todos os portugueses. Portanto se tem alguma critica a fazer ao que foi escrito, que a faça ao Director do Jornal Expresso, pois quanto muito é este que avalia o interesse da notícia para os seus leitores ou então pode criticar a Marlene por lêr o Expresso.
Como cidadão comum que sou e sem filiação partidária interessa-me saber de que forma são geridos financeiramente todos os partidos políticos, pois todos eles são financiados pelo estado português através dos impostos que todos nós pagamos.
A partir do momento em que a notícia é publicada, cabe a cada um nós avaliar e tirar as suas conclusões, certas ou erradas, todos somos livres de pensar e de expressar os nossos pensamentos pois vivemos num pais livre e não em Cuba, China, na Rússia, etc...
Sr. Anónimo, uma sugestão, se não concorda com o que a Marlene apresentou, divulgue factos que contradiga o Jornal Expresso, e já agora, por favor mantenha o nível da Boa Educação.

Anónimo disse...

Caro Anónimo, (ou será o sr.caguinhas)

Para militante do Pcp? Depois não se pode falar! É que a liberdade de pensamento e de expressão, não existem no dicionário comunista.

Poças, faço tuas as minhas palavras.

Cumprimentos,
Gonçalo de Albuquerque

Anónimo disse...

O PCP só demonstrou que é um partido transparente e que `não tem problema em divulgar os números relativos à sua actividade. O mesmo não se vê na JSD que nunca divulgou como é que te dinheiro para pagar tantos outdors, nem quanto custa tantas campanhas publicitárias. Assim se vê quem é mais transparente e quem tem algo a esconder!

Anónimo disse...

Caro anónimo do comentário acima.

sabe ler?

Anónimo disse...
A marlenezinha está muito preocupada com o PCP, porque não entra para militante? É que os assuntos internos do PCP interessam aos seus militantes e não hás marlenezinhas que por aí polulam!

Sábado, Novembro 29, 2008 11:34:00 AM

E depois veem para aqui desculpar-se e dizer coisas como a que disse o seu colega.

Cumprimentos,
Gonçalo de Albuquerque

Anónimo disse...

Só faltava o cagadas a defender à marlenezinha, em vez de responder à questão colocada. Tudo isto só demonstra que o PCP é mais transparente do que a JSD.

Anónimo disse...

Sr. Caguinhas,

As saudades que a sua linguagem porca me dão.

Responder a quê?
Aos outdors?

Meu caro caguinhas, se o senhor não sabe ler ou perdeu a resposta dada neste blog, relativamente a esse assunto, o problema é seu e não meu. Procure e encontrará as respostas às suas perguntas.

O Pcp transparente?? LOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOLOL..................................................

LOL, posso dizer que o sr.caguinhas sempre entende de humor.

A sério, LOLOLOLOLOLOLOLOL......

Cumprimentos,
Gonçalo de Albuquerque