sexta-feira, novembro 14, 2008

O que fizeste do nosso Seixal,PCP???


É curioso ver os dois principais responsáveis pela betonização maciça do Concelho do Seixal juntos: o ex-Presidente da CM Seixal Eufrázio Filipe ao Centro e o actual Presidente da CM Seixal, o Professor Alfredo Monteiro, ao seu lado. Estes dois senhores juntos conseguiram aumentar a população do Seixal em 100 mil pessoas em cerca de 30 anos sem que para isso tivessem tido em conta as infra-estruturas necessárias, sendo neste momento o Concelho do Seixal uma manta de retalhos no que ao ordenamento do território diz respeito e com os projectos faraônicos de betão que tem previsto trazer para o nosso Concelho, serão mais de 50 mil novas pessoas (estimativas por baixo), fixando a população no Seixal em cerca de 220 mil pessoas (cerca de 2% da população portuguesa), causando o colapso total dos serviços públicos. Assim é caso para perguntar:
o que fizeste da nossa Natureza CDU??

20 comentários:

Ana disse...

Já vi acusarem o PCP de muita coisa, mas ser o culpado do facto de as pessoas terem filhos é sem dúvida a mais hilariante que alguma vez vi!

E se vissem as posições do PCP sobre a melhoria e aumento dos serviços públicos, quer no Seixal quer a nível nacional hã?

Davide Ferreira disse...

Este comentário anterior deu-me vontade de rir.
Como é óbvio o PCP é acusado de falta de uma política de urbanismo e desenvolvimento sustentado.

Anónimo disse...

É nojento ver bestas deste calibre criticar o trabalho e esforço de pessoas que tanto fizeram pelo Seixal. O executivo CDU no Seixal, e noutros concelhos, é reconhecidamente dos melhores exemplos do poder local. Contudo, estes analfabetos continuam a criticar. Como é possível escrever um post deste tamanho numa só frase? E que regras de colocação de vírgulas são as suas? Concelho com "c" maiúsculo no meio de uma frase? Tudo o que escreve, além de ser um atentado ao bom senso, verdade e honestidade, é também um atentado à lingua portuguesa, desde a sintaxe, à acentuação, passando pela semântica e estilística. Sou obrigado a admitir que a CMS tem falhado no campo da literacia...
Além da boçalidade patente, a prova que faz da má gestão da CMS é o facto de muitos milhares de portugueses terem trocado concelhos geridos pelo PSD, por ex. Lisboa, pelo do Seixal? Esforce-se um pouco mais!

Filipe de Arede Nunes disse...

Exactamente. De acordo com o comentário idiota da Ana, o Seixal é o único concelho deste país que tem uma taxa de natalidade de tal forma elevada que a sua população passou de 40.000 habitantes em 1970 para 180.000 em 2008! Inacreditável!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Filipe de Arede Nunes disse...

Deixarei o comentário do último anónimo - apesar de ser profundamente ofensivo - porque sobretudo ilustra a realidade daqueeles que defendem este género de regime. Enfim, que tristeza!

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Carta aberta aos Almadenses

Caros concidadãos,

Fazendo eco do mote vindo do outro lado do Atlântico, sim, nós podemos! Podemos, sim, podemos e devemos questionar aqueles que, alegadamente, nos representam e a quem entregamos os nossos impostos, suor e lágrimas na presunção de serem usados no bem comum, sobre o que de facto deles fazem. Num país governado, no que a impostos respeita, a garrote e canga, onde o ditado se subverte enquanto damos a uva para no-la restituírem em parras, é urgente inquirir sobre decisões comprovadamente erradas. E hoje tenho, tal como muitos de vós, imensas questões a levantar sobre o designado Metro ligeiro na cidade de Almada.

A primeira e que nos perpassa pela mente sem que tenhamos de ser engenheiros, bastando-nos o bom senso, é; como foi pensado o traçado escolhido? Ou melhor, foi o traçado deveras “pensado”?

A minha dúvida reside no facto de terem transformado a entrada principal da cidade, por isso mesmo a mais movimentada, numa via secundária de uma única faixa para cada lado, com escolhos sinuosos travestidos de paragens, atravessada por duas linhas do “moderno eléctrico” – que poderiam ter sido soterradas - e cujos semáforos em hora de ponta se limitam a alguns segundos de intermitência, com os engarrafamentos que isso acarreta. Como se não bastasse, ainda transfiguraram pequenas ruelas interiores em ruas principais, sem espaço ou sentido, muitas delas obrigando a volteios intermináveis por dentro da velha cidade sem destino plausível, apenas isso mesmo, volteios sem chegar a lado algum. Ruelas outrora pacatas, marcadamente vivenciadas pela população mais idosa da cidade, e que se vêem, em nome duma suposta requalificação, lotadas de carros, alguns perdidos no labiríntico devaneio de quem o idealizou, e as expectáveis buzinadelas de gente já à beira de uma crise de nervos. Se isto se passa com o cidadão que se desloca para e do trabalho, imagine, quem ainda não testemunhou, o problema das viaturas de emergência; trancadas entre veículos que não têm para onde se esgueirar a fim de dar passagem àqueles sobre quem pesa a necessidade premente da urgência. Lastimável? Não, vergonhoso!

Não querendo ficar por aí, todos sabemos como a edilidade pilhou os estacionamentos da cidade em nome duma outra ideia de progresso, a mobilidade. E afirmo pilhou porque todos nós pagámos esses estacionamentos aquando da compra da casa pois, para quem não o saiba, as envolventes das edificações são pagas pelos construtores das mesmas que, por sua vez, vertem esse custo no preço final dos imóveis. Hoje, esses estacionamentos pagos não são mais do que empedrados grotescos e ondeantes com pseudo definição de arte portuguesa, sem qualquer outra serventia senão a de esperar que alguém se passeie sobre eles, quiçá em busca da cidade perdida, e com outra virtude escondida, a de amplificar os sons da cidade. Ainda antes, essa mesma edilidade instituiu uma espécie de polícia camarária cujo objectivo, leia-se multas, é conseguido por meio de emboscadas e autênticas esperas ao “infractor”. Se tudo isto não é uma forma de pilhagem, perdoem-me mas o meu dicionário não lhe atribui outro vocábulo, provavelmente por notória falha minha de português.

Mas não expiram aqui os erros no que toca às pretensas Requalificação e Mobilidade sem falar de outro atentado às mesmas feito no famigerado triângulo da Ramalha. Depois de muito acesos fóruns de eventual opinião pública, depois de debatidas, estudadas, escolhidas e autorizadas opções mais viáveis, eis que sujeitam as ruas Lopes de Mendonça e José Justino Lopes à mais completa devassa dos direitos de qualquer cidadão deste país. Para além da perda dos estacionamentos para cerca de uma centena de automóveis, o designado canal do metro imiscui-se entre os prédios roçando portas principais e entradas para garagens, transformando o que antes era uma zona aprazível, até chamada nobre, numa salganhada de linhas, postes, semáforos, sinais de trânsito – quais palitos espetados num pedaço de queijo – e dificultando uma simples descarga de compras ou tornando o arrumar do carro na garagem numa missão quase impossível. E aqui subjaz a segunda questão: com que argumentos se convenceu, ou se deixou convencer, o Estado, dono da obra, a optar por uma solução mais cara e muito mais fracturante na qualidade de vida dos munícipes, se já havia autorizado a proposta dos mesmos?

Ora, se com as denominadas “Requalificação e Mobilidade” estamos como aqui se descreve - recorrendo a novo ditado, é caso para dizer que foi pior a emenda do que o soneto – passemos à terceira e última questão, mais do que pertinente; desconhece o executivo camarário o ruído ensurdecedor do guinchar metálico e perfurante das rodas nos carris do transporte apresentado como silencioso? Não, não desconhece porque muitos de nós já fizeram chegar o seu desconforto, para dizer o mínimo, ao dito cujo executivo. Mas como em tudo o mais que se refira a interpelações dos munícipes, a noção de democracia da edilidade não lhe permite sequer acusar a recepção do correio electrónico, quanto mais responder-lhe. E quisera eu falar apenas na estridência de ferro contra ferro, agora já se lhe juntou uma espécie de martelar profundo, como se as rodas das composições fossem quadradas. Não tem sido possível dormir, ou simplesmente intentar fazê-lo, com semelhante vizinhança, ainda em testes, e eis que estamos no século XXI, num Estado de direito no qual os cidadãos são tidos em conta tão-somente a cada final de mandato.

Tenho votado neste executivo, confesso antes que me atribuam intenções escusas, pelo que assumo a minha quota-parte de culpa neste desastre e não, não estou contra o Metro, estou contra o que dele fizeram. Mas nunca é tarde para mudar e recuperar a dignidade. Mataram Almada, que não matem a nossa voz!
by GMaciel

http://inflorescencias.blogspot.com
http://triangulodaramalha.blogspot.com

Anónimo disse...

É verdade estas bestas do PCP tornaram o Seixal um enorme monte de merda de betão. Grande trabalho junto dos construtores civis.

Daniel Geraldes disse...

Epahhhh, agora é que eu irritei o anónimo (comunista), caro anónimo não se preocupe, que com as verdades que eu pretendo trazer aqui ao blog da JSD Seixal vai-se irritar muitas mais vezes.

E em relação á minha escrita reconheço que esta não é o meu forte, alias nunca foi, tal como gerir autarquias tambem não é o forte da CDU, mas enquanto o português que eu escrevo sempre se pode regenerar, o Seixal que a CDU destruiu e continua a destruir já poucas hipoteses terá de o fazer, a menos que eu e os meus companheiros continuemos a fazer esta NOSSA LUTA pelo Seixal.

Pedro S. disse...

Caro Anónimo nº1:

Apesar dos seu comentário insultuoso remeter para a falta de conhecimentos por parte dos membros da JSD Seixal, eu vou lhe fazer o favor de iluminar , para que fique a saber o porque, de haver pessoas de municpios do PSD, e outros a virem para o seixal!

PREÇO DO METRO QUADRADO!

E isso, ao contrário do que insinua, é uma prova da me gestão da CDU, caso a gestão fosse boa as casas estavam a valorizar em relação a outros municípios,e consequentemente os Seixalenses estavam a ver os seus investimentos valorizados, agora sendo assim..

P.S.: Caso queira pode vir fazer a correcção ortográfica do meu reply, mas gostaria, isso sim , de discutir os problemas urbanísticos do seixal, para lhe poder esclarecer mais algumas coisas.

Anónimo disse...

segundo o IP a besta nojenta (mais conhecido como anónimo nº1) é o Paulo Silva do PCP!

Tenha vergonha e diga as coisas na cara!

Anónimo disse...

Estes laranjinhas tem um trauma chamado Paulo Silva!!! Deve ser do lider passar a vida na Assembleia Municipal a ser ridicularizado pelo Paulo Silva!!!

Marlene Pires disse...

Não percebo o porquê do nervosismo da parte dos senhores comunistas... Se acham que têm razão comprovem. E justifiquem também porque foram abatidos inumeros sobreiros. E justifiquem porque é que o exmo. senhor presidente da C.M.S quer destruir o Sapal. Justifiquem também porque ainda não limparam a Baía. E já agora justifiquem também porque não demitiram o vereador que perdeu para o Seixal 6.000,000€.

É porque vocês não nos ofendem a nós "laranjinhas", vocês ofendem os seixalenses.

Cumprimentos,

MP

Anónimo disse...

O Marlenezinha aqui a unica nervosa és tu!!! Os comunas andam bué da divertidos a gozar com o "Obama". Depois não confundas os laranjinhas com o resto da população do Seixal, vocês não passam de um grupo marginal e sem influência, parecidos com o MRPP dos anos 70 - deve ser influências do Durão - que fazim muito barulho, mas depois chegava ás eleições e ficavam em ultimo... Vais ver que para o ano, por esta altura vocês estão todos a chorar as derrotas!!!

Marlene Pires disse...

Caro anónimo:

Em 1º lugar não lhe admito que me trate por "Marlenezinha" e por "tu" porque não andámos na escola nem tão pouco somos amigos.

Em 2º lugar acho extremamente ofensivo que sejamos chamados marginais só porque defendemos os interesses da população do Seixal (e nunca nos viram a pintar paredes).

Em 3º lugar e para finalizar achei piada que o caro anónimo se limitou a ofender, uma vezque não conseguiu justificar o que eu mencionei.

Cumprimentos,

MP

P.S. Não uma pessoa nada nervosa! Muito pelo contrário, sou extremamente calma e pacífica, e quem me conhece sabe isso :)

Anónimo disse...

Oh marlenezinha não fiques assim ofendida, pois isso só demonstra o teu nervosismo... O teu nervosismo demonstra-se ainda pelo sentido dado à palavra "marginal"... Por ultimo bastante quilhoada estava a população deste concelho se necessitasse dos laranjinhas para alguma coisa... Vocês são um grupelho sem influência e por isso nada defendem a não ser o vosso tacho!

João disse...

Afinal estes laranjinhas sempre incomodam, demonstra-se pelo tom e forma de reacção a este post.

Pedro disse...

"deve ser influências do Durão - que fazim muito barulho, mas depois chegava ás eleições e ficavam em ultimo" Esta a falar do mesmo durão que é actualmente o Presidente da Comissão Europeia ??? é que se assim for agradeco o elogio que faz ao mencionar que estamos no bom caminho =) seja reconhecido o merito a quem o tem

Marlene Pires disse...

Bom, seja como for o anónimo não teve capacidade para justificar o que eu mencionei! O meu objectivo foi cumprido :)

Cumprimentos,

MP

Maria Mendes disse...

Mas o "amigo Anónimo" é mesmo bronco não é?!?!

Você é burro ou faz-se de burro?!?!

É que com tanta ofensa e tanta estupidez, só demontra que nós Laranjinhas como diz, realmente incomodamos e colocamos o dedo na ferida.

Abra os olhos e veja a realidade em vez de andar por aí a caluniar e a chamar nomes aos outros.

boa tarde,

Maria M. Mendes

Anónimo disse...

Dou razao a todas as criticas feitas a gestao da CMS, sao problemas gravissimos, o metro e uma coisa inutil que gastou mtas verbas necessarias para outras coisas, como uma alternativa decente a EN10 (penso que se deve as infinitas queixas dos ambientalistas, tb n tenho a certeza). Mas perdoem-me os JSDs mas o PSD nao faria melhor, voces tem imensas autarquias nas quais se passam os mesmos problemas, relacoes com os contrutores, escandalos de varias ordens, corrupcao...enfim... o que se passa em todas as autarquias. Ca para mim, e tudo igual, so muda a cor e a vestimenta.