domingo, novembro 02, 2008

Nacionalização do BPN

Em finais de 2006, o ministro Manuel Pinho disse a famosa frase "A crise acabou"

Na Eslovénia, durante os dois dias de reunião dos ministros das Finanças dos 27 países da União Europeia Ministro Teixeira dos Santos repetiu que Portugal está atento e "a acompanhar os desenvolvimentos da economia internacional".
Teixeira dos Santos não corrobora, portanto, qualquer posição de que a instabilidade financeira internacional possa contagiar a economia portuguesa.

7 de Outubro de 2008, O governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, considera que «a banca portuguesa está a reagir bem» à crise financeira internacional. «Nós seguimos permanentemente a situação de liquidez de todos os bancos do nosso sistema, é um acompanhamento muito próximo e diário, por forma a que qualquer problema que possa surgir, possa ser resolvido», adiantou ainda.

12 de Outubro de 2008, O antigo presidente do BCP, Paulo Teixeira Pinto, mostra-se convicto de que a banca portuguesa está imune à crise internacional.

Hoje depois da reunião extraordinária de Ministros, vem a "bomba" o governo vai proceder a nacionalização do Banco Portugues de Negócios!

Será que nos andaram a mandar areia para os olhos este tempo todo? Ou será que estes Srs. realmente não sabiam o que estava a acontecer? Onde andava o regulador Banco de Portugal e o Vítor Constâncio durante este tempo todo? Será coincidência que o BPN vá a falência durante esta crise?

Ficam aqui o resumo (1min) das palavras do Ministro das Finanças.

3 comentários:

Daniel Geraldes disse...

É a vergonha completa, o capitalismo não foi feito para funcionar desta forma, a intromissão do estado na economia real é uma autentica vergonha, e ser mais uma vez o contribuinte a pagar esta factura de 700 milhões é um autentico crime de estado, o BPN devia ser deixado falir, e os seus gestores deviam ser levados á barra do tribunal por gestão danosa, mas enfim é o país que temos, e o mais curioso é que os reguladores voltaram a falhar completamente e neste caso foi o Banco de Portugal falhou mais uma vez, e torna-se ainda mais vergonhoso e escandoloso quando o Dr. Victor Constancio não é eleito pelos cidadãos, vivemos num país que esta condenado ao fracasso, é uma vergonha e um verdadeiro cheque em branco que vai ser suportado por todos os contribuintes.

Anónimo disse...

Pode ser que com a nacionalização do BPN se venha a ter conhecimento da promiscuidade existente entre o Banco e o PSD, sempre se soube que o BPN tinha sido criado na órbita do PSD, por antigos dirigentes desse partido.

Anónimo disse...

O BPN criado na órbita do PSD?
Essa não lembra nem ao diabo.
Já agora e seguindo a mesma lógica, em que órbita partidária se inserem o BCP, o BP, o BANIF, o FINIBANCO, etc.?
E as Caixas Agrícolas?
Haja paciência para a parvoíce.