sexta-feira, janeiro 04, 2008

Carta aberta ao Exmo. Sr. Dr. Fonseca Gil, Presidente do PS Seixal.


Exmo. Sr. Dr. Fonseca Gil

V/Exa. escreveu numa mensagem de ano novo que “O Seixal está fortemente ligado a um período nobre da nossa história; a época dos descobrimentos. Era importante criar no nosso concelho um parque temático alusivo a esse período; mas, infelizmente, não vemos na proposta do PDM apresentado pelos comunistas qualquer visão estratégica que o contemple.”

V/Exa. dá uma resposta aberta a uma das questões levantadas por nós no n/blog.

Um parque temático para construir em que zona do nosso concelho? “refiro a titulo de exemplo, Fábrica de Lanifícios da Arrentela e antigas Oficinas da Câmara Municipal, Parque Industrial do Seixal ou mesmo pode um Parque ser desenvolvido por pólos que se espalhariam por diversos pontos do concelho.”

Perguntávamos ainda se seria necessário desafectar alguma área de RAN e REN, se V/Exa. saberia quantos hectares poderiam ser necessários, quem seria responsável pelas acessibilidades ao mesmo e se atrás do parque viria a habitual especulação imobiliária.

A todas estas questões V/Exa. responde que: “Espantoso que tenham logo vindo a questionar os hectares a afectar ou a desafectar, com a especulação imobiliária que lhe poderia estar subjacente, com as acessibilidades, com os custos da sua construção, nada disso está em causa neste momento – não está definido o tamanho do parque nem onde deve ser instalado (…).”

Depois, V/Exa. tem ainda a coragem de afirmar que: “o que a JSD quer para o concelho é o imobilismo e a estratégia de desenvolvimento turístico preconizada pelos comunistas”; “A JSD está satisfeita com a realidade que se vive no Seixal.”; “Ficamos todos a saber que os “laranjinhas” do nosso concelho querem viver em clausura e distantes do progresso.”.

Vamos então por parques à resposta para que não se levantem dúvidas no futuro:

O Exmo. Sr. Dr. Fonseca Gil primeiro afirma que não se vê na proposta de PDM apresentada pelos comunistas qualquer visão estratégica que contemple a criação de um parque temático.

Face às questões levantadas pela JSD Seixal, V/Exa. responde vagamente sobre o local de localização e considera espantoso que questionemos a desafectação ou não de áreas de RAN ou REN, as possíveis consequência ao nível da especulação imobiliária, os custos com as acessibilidades.

Ora vamos lá ver. Então se V/Exa. se está a referir ao PDM do Seixal e à falta de previsão de espaços no mesmo para a criação de um parque temático, e depois nem sabe onde seria para instalar… Talvez na Fabrica de Lanifícios da Arrentela, ou nas antigas oficinas da Câmara Municipal, ou no Parque Industrial do Seixal, ou talvez em diversos pontos do concelho! Estamos confusos… Se pode ser em todos estes locais, ou em nenhum, o que propõe V/Exa. em concreto? Que o PDM tenha uma norma em aberto que diga que se pode proceder à construção de parques temáticos em cada um destes locais? A que se refere V/Exa. quando fala em visão estratégica no PDM? Depois de tantas palavras ainda não conseguiu dar uma resposta conseguida…

Como quer V/Exa. que não nos preocupemos com desafectações de áreas de RAN e REN? Delapidar ainda mais os já escassos recursos ambientais do nosso concelho? E as acessibilidades não são importantes? Afinal V/Exa. quer que se construa um parque temático no Seixal – apesar de não saber onde e embora faça questão de enaltecer o conceito de visão estratégica – e acha que não é preciso considerarmos o aspecto das acessibilidades? E a exploração imobiliário no nosso concelho? Não fica V/Exa. preocupado com o facto de termos milhares de fogos devolutos no Seixal? O conceito de visão estratégica não contempla para V/Exa. a resposta a estas questões?

Em relação aos tristes considerandos adjectivados com que V/Exa. pretende qualificar e classificar a JSD Seixal, permita-nos que lhe diga o seguinte.

A JSD Seixal não se revê nas palavras de V/Exa. Não nos revemos no “imobilismo”, nem na “estratégia de desenvolvimento turístico preconizada pelos comunistas.” A JSD Seixal não está satisfeita com a realidade que se vive no Seixal e muito menos tem V/Exa. o direito de afirmar em qualquer circunstância que “Ficamos todos a saber que os “laranjinhas” do nosso concelho querem viver em clausura e distantes do progresso.”

De facto, e ao contrário do que V/Exa. e outros que por aí andam poderiam querer, a JSD Seixal pauta a sua actuação por critérios de equilíbrio, harmonia, oportunidade, realidade, e segurança.

Não nos revemos em projectos sem nexo, sem qualquer suporte substancial, lançados para o ar como balões na Primavera. Acreditamos que o Seixal tem potencialidades turísticas que não passam pela construção de mais estruturas maciças em betão e pela desafectação do património natural para a construção de mais habitações como suporte a futuros projectos.

Neste contexto, a Baia do Seixal e a sua área adjacente assumem-se como o mais importante dos vectores nesta equação que é o desenvolvimento turístico no Seixal. Através da promoção da mesma é possível obter o dito desenvolvimento, sendo para isso absolutamente necessário fazer uma aposta definitiva na sua reabilitação enquanto ex libris do concelho.

Era aqui que se mostrava importante verificar a reabilitação de todo o património directa e indirectamente ligado à Baia, como são por exemplo os Moinhos de Maré. Seria importante também recuperar as zonas de sapais – e nomeadamente não permitir a construção de mais uma piscicultura em Corroios – aproveitando dessa forma o valioso recurso natural que o Sapal apresenta, através de visitas para observação da biodiversidade destes ecossistemas. A maximização do espelho de água da Baia seria certamente, pelas condições que a mesma poderá apresentar, um convite aos deportes aquáticos e à cultura do turismo desportivo.

Aproveitar a antiga Fabrica da Mundet para criar mais um museu da cortiça – à semelhança do que já existe em outros locais do país onde este recurso assumiu uma importância fulcral – que combinado com uma rede de museus no concelho seria propicio à recepção do turismo cultural, a par da revitalização das celebres Cantigas de Maio, que juntamente com o festival de Jazz e outros eventos de âmbito musical e cultural.

A aproximação da população – neste momento cerca de 170 mil pessoas – ao concelho, através da organização de um evento verdadeiramente popular que busque nas raízes ancestrais do concelho o seu motivo e temática, poderia assumir-se como uma pólo atractivo para as visitas de turistas ao nosso concelho. Assume-se como fundamental criar um grupo de missão com o objectivo de encontrar e reanimar velhas tradições e festas de forma a desenvolver o turismo local.

Acreditamos que o principal problema com o turismo no concelho do Seixal não está na falta de características inatas ao local onde vivemos, mas muito, acima de tudo o resto, da falta de boa promoção do concelho, que vive atolado em dezenas de anos de governação por uma maioria inerte e sem capacidade de inovação.

O que não pode acontecer, ao contrário do que é sugerido pelo Exmo. Sr. Dr. Fonseca Gil, é acreditarmos que o progresso apenas se atinge pelo betão avulso que tudo destrói. O Exmo. Sr. Dr. Fonseca Gil esqueceu-se de pensar nas consequências da proposta que fez.

A JSD Seixal não tem medo do progresso. A JSD Seixal enquadra-se num partido de índole reformista e que pretende a promoção da qualidade de vida das populações. A JSD Seixal não embarca em assomos fundamentados em eventuais “árvores das patacas” por descobrir nem pactua com propostas que possam eventualmente por em causa o património que ainda resta à população do concelho do Seixal.

A JSD Seixal não pactua com ideias confusas, por desenvolver, e sem qualquer sustentação através de estudos e projectos.

Finalmente a JSD Seixal acredita que o progresso no nosso concelho, bem como no país, só poderá fazer-se com respeito pelo ordenamento do território, com a garantia de manutenção do património – edificado e não edificado – existente, através de um desenvolvimento sustentado e de projectos concebidos e planeados correctamente.
A Comissão Política de Secção da JSD Seixal

17 comentários:

Velas do Tejo disse...

Não esperava tamanha ausência de visão da juventude partidária do Partido Social Democrata.

Francamente fiquei decepcionado!

Acho que este é o tipo de visão com que o PC nos tem habituado, não revendo este discurso na filosofia do vosso partido.

Além disso, parece-me francamente itiota os dois principais partidos da oposição estarem a trocare balas um com o outro.

Não sería mais lógico estarem a trabalhar forte para pôr termo a esta tortura vermelha que sofremos há décadas?

Fiquei decepcionado!

Mauro Santos disse...

O Sr. Fonseca Gil ou não sabe no que a construção de um parque de diversões consiste ou sabe muito pouco.

Começo por lhe dizer que o meu projecto de final de curso baseou-se em empreendedorismo e especificamente na construção de um parque de diversões.

A não ser que o Sr. queira outra "Feira Popular", um parque temático é por norma uma construção de muitos hectares e que este tipo de contrução "gigantesca" requer a existência de vias de comunicação, transportes, infra-estruturas de apoio e muitas implicações a nivel de recursos naturais. Vias de comunicação que não possuimos, a não ser que chame às estradas do nosso concelho em que se pode estar preso no trânsito durante 30minutos e em más condições, vias de comunicação.

Dizer da boca para fora que se quer um parque sem estudos de mercado, estudos de impacto ambiental e outros documentos informativos é um disparate por completo, é pura demagogia e politiquisse.

Mas olhe da próxima consulte profissionais antes de fazer discursos e talvez diga coisas acertadas e dps de perder a razão n comece a falar mal da JSD, aliás se quiser informar-se sobre o nosso concelho venha ter conosco, talvez consiga ter ideias adequadas À realidade do concelho e com conhecimento de causa.

PS: Após a reralização do meu projecto concluí que um paruqe de diversões seria benéfico para o país pois é um foco de atração de turismo e por consequência, de atração económica. Mas xutar para o ar como um míudo " quero um paruqe de diversões " só o descredibiliza, estude o assunto e depois mostre que de facto pode ser benéfico, se o fôr.

Mauro Santos

Mauro Santos disse...

Sr. Velas do Tejo você diz que não esperava tamanha ausência da JSD, mas pelos vistos não leu o post que comenta com algumas ideias ao nível do turismo, embora não as xutamos para o ar como o Sr. Fonseca Gil porque apenas temos o senso comum do nosso lado para vermos que ideias poderiam ser benéficas para o turismo no concelho do Seixal sem ser de uma forma desmedida.

Como referi anteriormente um paruqe de diversões pode ser um ponto de atração mas seria necessário uma revolução a nivel urbanistico no nosso concelho com a construçao de novoas e melhores vias, hoteis, serviços de saude, segurança, ETARs, etc... e agora diga-me se acha que o "xuto" do Sr. Fonseca Gil não é desmedido da ausência de conhecimento da coisa.

Já agora, uma das consequências deste parque seria o crescimento populacional subjacente e dinheiro para acompanhar este provável "boom" populacional que já é suficientemente desmedido nos dias que correm no Seixal, aliás o Sr.Fonseca Gil está a ir contra o Governo do seu Partido pois teria de reabrir SAPs para acompanharem o crescimento populacional, construir um hospital, ou seja gastar mais dinheiro público em investimento público.

Mas concordo consigo quando diz que deveria haver trabalho conjunto em prol da população pelos diversos partidos, mas o que não podemos permitir é politiquisse que em nada ajuda os "seixalenses".

Velas do Tejo disse...

Para mim é completamente indiferente o "xuto" de um ou a ideia "ciêntificamente fundamentada" do outro.

Mais que tudo isso choca-me a atitude!

Choca-me que o foco dos principais partidos da oposição deste concelho seja outro que não por termo a esta gestão vermelha.

Trabalho de fim de curso?!

Tenha santa paciência!

Anónimo disse...

ena meu , este mauro é porreiro pá . para ele um parque temático é um parque de diversões. melhor que ele só o ponto verde .. força mauro se quiseres aranjo-te uns bilhetinhos para a feira popular

Mauro Santos disse...

Sr. Velas do Tejo se a criação de um parque ajuda ao fim da gestão comunista eu não sabia...
Não percebi a sua indignação em trabalho de final de curso?Que está a ser adoptado por investidores reais.
Mostre-nos conteúdo no próximo comentário, gostava de saber o principal foco de outra Juventude Partidária neste concelho, a JS por exemplo que nada ou pouco nos mostra. Mas digo-lhe que o foco da JSD é um melhor Seixal e condenar as atitudes que não sejam contributivas para este objectivo, no qual se encontra o todo da "gestão vermelha" e se dúvida que nos indignamos contra a tal gestão vermelha, convido-o a ler o nosso blog, a vêr as nossas companhas de rua e a actuação nos órgãos autárquicos.

Quanto ao senhor anónimo pelos vistos não sabe que a feira popular já era, mas pelos vistos o senhor deve ter parado no tempo como toda a gestão autárquica do concelho. Já agora indique-me as diferenças entre as diversas nomenclaturas deste tipo de empreendimento.

Velas do Tejo disse...

O problema é que todos vós, da esquerda à direita, são todos iguais! Incapazes de pensar em mais ninguém que não em vós próprios, fazem politica e defendem causas apenas para se promoverem. Estão-se nas tintas para aqueles que vos elegem.

Compreendo que o Sr. Mauro precise de abrir as penas e… digamos, pavonear-se! Mas tente faze-lo quando já tiver construído alguma coisa na vida. Por agora, é quase ridículo e só não é ridículo porque é um jovem e tem todo o direito de estar a fazer pela vida. Numa empresa, até lhe dava emprego, como político… é apenas mais um.

Velas do Tejo disse...

E a propósito... vejo o vosso blogue todos os dias, tenho lido tudo o que têm publicado, já no passado vos dei os parabéns.

Acompanho-vos de perto, a todos!

Mauro Santos disse...

Sr. Velas do Tejo fazer política no Seixal enquanto oposição promove-nos a que nível?

Quanto à sua tentativa de ataque pesosal à minha pessoa apenas lhe digo que não vá por aí, uma pessoa para marcar a diferença não precisa ter feitos heróicos na sua vida, fico contente por ser apenas um "Mauro Santos" e tentar mudar as coisas de acordo com os meus ideais.

Marlene Pires disse...

É incrivel dizer-se que o Seixal está fortemente ligado aos descobrimentos!!! Pior que isso era ter um parque de diversões só porque atrai pessoas... o jardim zoológico também atrai e nunca ninguém falou nisso. O Sr. Dr. Fonseca Gil devia fundamentar melhor!

Velas do Tejo disse...

Não tenciono continuar este diálogo durante muito mais tempo. Jamais, em tempo algum, perdia o meu tempo de final de tarde de sexta-feira para lhe fazer ataques pessoais. Fique sossegado que o senhor não tem importância que o justifique.

Não espero que seja nem sejam heróis, mas uma vez que se propõe a gerir a coisa pública – que é isso que os políticos fazem – que o faça! Não brinque aos argumentos, não se pavoneie, fica-lhe mal! Qualquer empresário que tenha ganho a vida a pulso, despreza-o! E sabe porquê? Porque muitas das pessoas que têm iniciativa neste país, têm a infelicidade de esbarrar com pessoas com a mesma atitude que o senhor. Essa, entre muitas outras razões, justifica o marasmo que por cá anda!

Não se preocupe, a sua atitude vale o que vale e, seguramente não prejudicará o seu partido. Até porque muito dos seus seniores do seu partido, com quem o senhor devia ter aprendido alguma coisa, são dignos de confiança, respeito e admiração.

Eu só quero um concelho com progresso! Com obra, empreendedorismo, emprego, iniciativa, inovação. Estou dependente do senhor e de pessoas como o senhor para que isso aconteça. Trabalhe, trabalhe muito que um dia será compensado. A juventude partidária da qual faz parte tem vindo a trabalhar razoavelmente bem, mais cedo ou mais tarde colherão os frutos desse trabalho. Até onde senhor Mauro?! Não se descontrole, fica-lhe mal…

Anónimo disse...

Com o risco de ser criticado pelos meus companheiros de partido, digo que tudo o que possa trazer desenvolvimento ao nosso concelho é algo sempre de positivo. (o que com toda a certeza eles concordam!)
O que me deixa perplexo, é o facto de lançar uma ideia para o ar "neste caso até boa", possa ser aplaudida assim sem mais nem menos, sem se considerar tudo aquilo que está por detrás, como acessibilidades, estudo ambiental, etc...
Eu considero a construção de um parque temático uma boa ideia, mas acho mais importante do que ter uma boa ideia, é ver se ela é praticável.
cumprimentos,
Gonçalo de Albuquerque

Paulo Andrade disse...

Mas desde quando é que todas as ideias discutidas em público são fundamentadas com todos os estudos que esta malta vem para aqui falar.

São quais?! Aqueles que o lunático do vosso lider da bancada parlamentar na AR não fez aquando da construção do túnel do marquês?

Básicos!

Pina Martins disse...

Caros Bloogers,

Antes de mais quero desejar bom ano a todos aqueles que têm oportunidade de ler esta mensagem,

Enquanto Presidente da JSD Seixal, queria deixar aqui algumas notas importantes para esta questão:

Primeiro ponto: Não somos contra um parque temático sobre os descobrimentos ou sobre qualquer outra coisa no nosso concelho por princípio.

No Post feito pelo companheiro Filipe Daniel Nunes, apenas surgem algumas questões que gostaríamos de ver respondidas por parte do PS Seixal. Não diz que somos contra nem deixamos de ser, o que me deixou indignado pela posição assumida pelo Dr Fonseca Gil, partindo do princípio que a JSD estaria contra esta proposta do Parque Temático.

Em segundo, a JSD não concorda que no PDM do Seixal devesse estar presente/previsto um local (que afinal de contas ninguém na realidade sabe onde) para fazer um suposto (pois penso não existir nenhum projecto nesse sentido) parque temático.

É uma ideia que até pode ser interessante, mas só poderei afirmar tal coisa depois de ver o projecto, que afinal não existe.

Para terminar, não irei responder a qualquer acusação feita à JSD Seixal, penso que todos conhecem as posições assumidas aqui, na assembleia municipal e nos cartazes contra a governação comunista

Obrigado pela atenção de todos,

Anónimo disse...

Estes tipos do PS são uma vergonha... este parque é uma vergonha, e a forma como é apresentada é outra... só espero que isto não seja o melhor que têm no Seixal, pq então nem quero pensar no pior

Filipe de Arede Nunes disse...

Caro amigo Velas do Tejo.
Em primeiro lugar quero agradecer-lhe pelo contributo que trouxe à questão levantada com este post no seguinto de um texto do Presidente do PS Seixal, Dr. Fonseca Gil.
Falamos aqui de uma proposta do PS Seixal para a revisão do PDM do concelho. O Dr. Fonseca Gil, sem saber bem como, propõe que este instrumento de gestão territorial preveja a criação de um parque temático...
Nós, JSD Seixal, perguntamos em que termos, apenas e só.
O meu ponto de vista pessoal é absolutamente relevante, mas ao contrário do que sugere, a JSD Seixal preocupa-se, e muito, com o interesse da população do concelho!
Veja: temos um concelho profundamente delapidado dos seus recursos naturais, fruto de uma política urbanistica deficitária que têm destruido tudo aquilo que este concelho tinha de bom; aos poucos, o concelho do Seixal têm-se transformado cada vez mais num enorme dormitório - cerca de 170.000 pessoas neste momento - sem que existam os diversos equipamentos para satisfazer os mais basilares requisitos de qualidade de vida; a proposta para o futuro PDM, não pode embarcar em posições irrealistas, quiméras douradas, ovos de colombo; a proposta do PS Seixal é irrealista, sem fundamento, impensada.
Caro amigo, fizemos já centenas de post's sobre a má governação comunista, mas não pudemos - é uma divida decorrente do conceito de honestidade intelectual - aceitar e compactuar com propostas como as do lider do PS Seixal... Acredite também, que não sou a favor de um bloco central para o concelho, e a divergência de opiniões é uma das mais fantásticas vertentes da democracia.
Finalmente, convido-o a ler o meu primeiro texto, e a compara-lo com a resposta do Dr. Fonseca Gil. Depois dessa resposta, naturalmente que a JSD Seixal teria que responder à devida altura. Afinal, essa ideia que pode passar que somos miudos a tentar conquistar um lugar ao sol no futuro, não corresponde à realidade. Somos na JSD Seixal, advogados, financeiros, gestores, economistas, informáticos, historiadores, psicologos, estudantes, etc., e não andamos à procura de um lugar de deputado. Fazemos propostas, observamos a sociedade, tudo em nome das nossas convicções e acredite, que com a políta, todos nós, sem excepção, apenas perdemos dinheiro e tempo!
Volte sempre, é um prazer ler o que tiver para escrever, sempre que isso contribua para que possamos fazer um melhor trabalho, mas não nos passe raspanetes, porque isso não podemos permitir...
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

É verdade que o Seixal como zona ribeirinha que é tem certamente ligações com a história dos descobrimentos portugueses. Acho que é imprescindível (não só no Seixal, mas em todo o país), uma verdadeira política para a cultura e «educação histórica» da sociedade. Contudo, não me parece que se atinja o objectivo proposto através da construção de um parque. Penso que não é necessário construir mais um equipamento para as entidades responsáveis fazerem decentemente a divulgação da história do concelho.No meu entender seria necessário fazer talvez uma reestruturação e divulgação daquilo que já existe. Em primeiro lugar seria optimo que a população do nosso concelho conhecesse melhor o sítio onde vive (onde em grande parte dos casos apenas vem dormir), os seus monumentos e a sua história, para que haja uma identificação das pessoas com a terra.Até poderia ser utilizado o «famoso» Boletim Municipal para fazer divulgação de alguns documentos históricos importantes e até de textos de boa qualidade historiografica. E isso pode ser feito também para o período dos Descobrimentos e da Expansão. Porque não chamar especialistas para fazer conferências? Poderia ser no forum municipal, ou então em vez de um grandioso parque temático, porque não criar-se um verdadeiro nucleo de «estudo» dedicado à ligação do Seixal com a história dos descobrimentos? Poderia ser na Quinta da Fidalga, ou mesmo no ecomuseu. Demonstrar como era feita a construção naval nos séculos XV e XVI, dar a conhecer a cartografia da época, a demografia do seixal nesse período... Fazer uma parceria com as escolas do concelho, não só as primarias (onde já se estuda a história local), mas também as básicas e até secundárias para que existam alguns dias por ano onde a história do nosso concelho possa ser estudada,não só através de visitas de estudo, mas com exposições de algum detalhe por parte dos professores.Algo que também poderia ser articulado coma câmara de Almada, uma vez que o Seixal pertenceu ao termo de Almada até ao ponto de viragem que foi a data de criação do concelho. Existem grupos de teatro no concelho e nas próprias escolas e apartir daí poderia ser incentivada a dramatização de cenas históricas ligadas ao concelho, dando a conhecer a quem representa e ao público um pouco mais do passado.
Seria muito importante que o pelouro da cultura tentasse a criação de mais iniciativas, que divulgasse mais aquilo que existe, que se tentasse chamar verdadeiramente as pessoas para o conhecimento da terra onde vivem, que se interessem por ela, para que este sítio não se transforme apenas num local onde se vem dormir e pouco mais. Não são necessários projectos «grandiosos» para atrair a população para a história do concelho.
Dou os parabéns à JSD pela forma equilibrada como viu o problema.
Como proposta final sugiro a todos a leitura da obra do Professor Aires dos Passos Vieira,Conheça o Passado Histórico da Região Onde Vive: Sociedade, População, Saúde e Mentalidade dos Concelhos de Almada e Seixal no Séc. XVII, Lisboa, Colibri, 2006. É uma excelente obra historiográfica, parte do resultado final da sua tese de Doutormanto defendidada na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, fazendo o estudo da sociedade que habitou o a nossa terra na centuria de seiscentos.
Maria Luísa Gama