sábado, abril 26, 2008

Os Jovens e a Política


Depois de termos comemorado um dos dias mais importantes da nossa história, porventura a data mais importante do Séc. XX , o Presidente da Republica alertou-nos e bem para o desconhecimento que os jovens na sua generalidade têm sobre aquilo que foi a nossa história política e sobre aquilo que conquistamos com o 25 de Abril. É importante conhecer as figuras e os seus propositos para melhor apreciarmos o que foi a nossa conquista da Liberdade.


(na página 25 estão os numeros da preocupação)

5 comentários:

Anónimo disse...

Liberdade? Nós vivemos em Liberdade??
Qual Liberdade???
Não ter comida na mesa?
Não ter dinheiro para que os filhos possam comer na escola?
Ter de comer escondido(a) dos colegas de trabalho, a merenda que levam de casa, com medo que saibam a dificuldade porque atravessam? Ter medo de andar de carro, pois a todo o momento podem ser vitimas de carjacking?
Ver o seu emprego pelo ar a todo o momento, pois por mais que produzam, a população não tem dinheiro para comprar os produtos? ETC...
Claro, a liberdade de votar! Deve ser essa a que falas. O problema é que qualquer dia também essa desaparece e tu meu caro, nem vais dar por isso.
cumprimentos,
-M-

Daniel Geraldes disse...

Caro -M-

todas as sociedades tem o seu periodo de expansão e de estagnação ou mesmo recessão, faz parte dos ciclos económicos, claro que comungo da sua preocupação, mas a liberdade é o primeiro passo para tentarmos fazer melhor sem restrições de qualquer tipo.

É obvio que neste momento o país está em dificuldades, e já há algum tempo, mas quem tem tambem a obrigação de se esforçar somos nós, sociedade civil e nós jovens, temos de lutar contra o alheamento politico em que a sociedade portuguesa neste momento se encontra, por isso achei q fazia todo o sentido realçar o discurso do Sr. Presidente da Republica.

Por mais que culpemos e bem as opções politicas até agora tomadas ainda reside na sociedade civil a força da mudança, eu tal como o senhor e muitos outros tentamos fazer a nossa parte, mas infelizmente ainda não é suficiente,o que não pode acontecer é desistir-se a meio, e o caminho para se melhorar não é nem nunca foi o mais facil.
Cumprimentos

cumprimentos

Anónimo disse...

Caro Daniel,

“todas as sociedades tem o seu período de expansão e de estagnação ou mesmo recessão, faz parte dos ciclos económicos,”

Concordo com o que diz aqui em cima, tudo é cíclico, é como as pessoas, às vezes têem dias bons e outros dias maus, é preciso é paciência e coragem pela espera de melhores dias.

Contudo, maior é o cego que não quer ver! Mas maior o Parvo que sabe mas nada faz! Creio que o senhor compreende que este ciclo já se arrasta há demasiado tempo e por isso ou está para breve essa mudança pelo melhor, ou então iremos como a história já provou anteriormente que quando uma situação se arrasta por demasiado tempo, então se calhar essa situação vêem para ficar muito mais tempo do que aquele que originalmente se pensou.

“Por mais que culpemos e bem as opções políticas até agora tomadas ainda reside na sociedade civil a força da mudança, eu tal como o senhor e muitos outros tentamos fazer a nossa parte, mas infelizmente ainda não é suficiente, o que não pode acontecer é desistir-se a meio, e o caminho para se melhorar não é nem nunca foi o mais fácil.”

Com isso não podia concordar mais. Por isso é necessário encontrar outras formas de regime que não este, e por respeito a este espaço não farei publicidade ao meu (além de que quem já percebeu quem eu sou, sabe que tipo de regime falo).

Quanto aos jovens meu caro, estes por mais que tentemos “atraí-los” para a realidade social e a necessidade de mudança, poucos respondem ao apelo, pelo que o que interessa aqui será talvez aproveitar e instruir os jovens que temos de maneira a prepará-los para assumir (bem) o futuro de Portugal (politicamente está claro).

Cumprimentos,
-M-

Paulo Edson Cunha disse...

Excelente a análise do M.
Mas uma coisa é certa, há ainda uma certa juventude, a nossa, que pela sua participação cívica e política, faz-nos acreditar num futuro melhor

Anónimo disse...

Concordo Paulo.
Politicamente a JSD do Seixal, é a única JSD que me faz ter esperança.
Só espero é que percebam que a vida é mais do que se sabe agora, a vida é o que se vai saber e aprender até ao fim, pelo que é necessário esperarem e ajustarem-se ás realidades existentes.
cumprimentos,
-M-