terça-feira, abril 15, 2008

Diga lá: Turismo de Natureza! Só pode ser a brincar...

Estamos entusiasmados com os programas de Turismo da Natureza patrocinados pela Câmara Municipal do Seixal...
No próximo Sábado, dia 19 de Abril, realizar-se-á um passeio pedestre desde o Moinho de Maré de Corroios até à Ponta dos Corvos, onde se prevê a observação do Moinho de Maré de Corroios, antigas quintas, flora e fauna da zona do Sapal de Corroios, restinga do Alfeite, Ponta do Mato, antigas secas do bacalhau e Ponta dos Corvos.
Para o ano, certamente também já se poderá ver a piscicultura autorizada pela Câmara Municipal do Seixal e que destruirá cerca de 1/3 de todo o Sapal!

5 comentários:

Marlene disse...

A CM Seixal é zero em Turismo e zero em natureza. Não sabe:
1º O que é o turismo
2º O significado deste tipo de turismo nem a sua aplicação!

Isto é uma ideia de alguém muito imbecil!

Ponto Verde disse...

A destruicão do sapal pela piscicultura pode ser vista já há alguns anos.

Será que estas inicitivas não terão como objectivo aliciar e identificar os perigosos cidadõs que pugnam pele defesa da natureza no Seixal?

Teoria da conspiracão ou algo de real?

Filipe de Arede Nunes disse...

Face ao comentário do Ponto Verde, que desde já agradecemos, faz sentido a seguinte nota de rodapé:
A JSD Seixal não ignora que a destruição do sapal pela piscicultura pode ser já vista há alguns anos, na medida em que este mesmo promotor já havia começado as obras no inicio deste século, tendo as mesmas sido embargadas.
No entanto, e de acordo com os contactos que a JSD Seixal teve com o Grupo Flamingo, depois da agressão de 2001 o sapal estava lentamente a recuperar.
Infelizmente, assim que a piscicultura estiver acabada e em laboração, não podemos afirmar que algum dia voltaremos a ver a natureza no seu estado mais próximo do selvagem. Era esse o facto que queriamos realçar.
Quanto às questões suscitadas pelo Ponto Verde, para elas não temos resposta. O que podemos dizer é que se essas tentativas de aliciamento dos cidadãos que pugnam pela defesa da natureza no Seixal existem, caberá aos mesmos a denúncia de tais factos.
Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Velas do Tejo disse...

O turismo so Seixal acaba por ser ridiculo. Não pela falta de potencial, mas pela tentativa de por a carroça à frente dos bois. Basta fazer o percurso entre o Moinho de Maré de Corroios (fechado á varios anos) e a ponta dos corvos para ver que é nojento: pó, lama, buracos, lixo, entulho, maus cheiro, degradação...

O Moinho de Maré em funcionamento - uma raridade em todo o mundo - remetido a um prepétuo encerramento. Dezenas de outros (alguns deles da Câmara Municipal do Seixal) em ruína. Quinta da Trindade, fechada! Fábrica da Pólvora, fechada! Quinda da Fidalga, semi-aberta! Um bote de Fragata, Gaivotas, arruínada abandonada em Sarilhos Pequenos há 7 anos. Um barco varino, quase centenário, com o fundo completamente apodrecido, parado há dois anos, aguardando por financiamento para ser reparado... até lá, morre como a Gaivotas!

O Seixal clama por dignidade, mais obra e menos marketing a camuflar a realidade inoperante do executivo.

Quanto ao Sapal, muito em breve (uma, duas décadas) haverá muito sapal entre a Amora e a Arrentela. Será por isso que os senhores autaras não se incomodam com a destruição do Sapal de Corroios?

Anónimo disse...

realmente a ignorançia do povo português já não espanta a ninguém.
um dia se por acaso houver alguma limpeza de uma caldeira de um minho de maré voçes possivelmente irão considerar um atentado a naturez.
mas se todos essas caldeiras foçem lipas o vosso sapal de corroios estaria menhor.
não é uma piscicultura que o poluí, pelo contrario vai menhora-lo, porque essa actividade esta a fazer o que os moinhos de ma´´es faziam a muitos anos , a reter a agua e a liberta-la criando calas onde os barcos possam navegar.voçes falam da piscicultura mas estão esquecidos ue desde ca quinta da bomba até a ponta do mato toda a via parece uma lixeira,não culpem só a autarquia o sapal é de todos e todos o devemos preservar.