terça-feira, fevereiro 24, 2009

As empresas no concelho do Seixal

Mais uma vez, no seguimento da apresentação propagandística, por parte da CDU, de um panfleto onde se referia o papel fundamental do Poder Local Democrático no desenvolvimento económico do concelho do Seixal, decidimos ir pesquisar sobre indicadores de tal desenvolvimento.
Após alguma pesquisa, encontrámos, no Anuário Estatístico Regional de 2007,publicado pelo Instituto Nacional de Estatística, a resposta às nossas questões, e, infelizmente, a confirmação dos nossos receios. Neste documento, disponível no site do INE, estão discriminados vários sectores da actividade municipal, entre eles os indicadores das empresas por município. E são nestes indicadores onde o concelho do Seixal sai muito, muito mal na imagem. Vejamos então:

Densidade de empresas:
O concelho do Seixal apresenta 156,0 empresas/km2. Até poderíamos julgar que este seria um valor elevado. No entanto, verificando os valores de Almada ( 260 empresas/km2), Barreiro (217,9 empresas/km2), ou Lisboa (1153,5 empresas/km2), apercebemo-nos da sua verdadeira dimensão relativa.

Pessoal ao serviço da empresa:
O concelho do Seixal verifica uma média de 2,3 trabalhadores por empresa, muito abaixo da média nacional de 3,4 trabalhadores p/empresa e da média da região NUTS II Lisboa (que compreende a zona de Lisboa e a península de Setúbal) de 4 trabalhadores por empresa.

Volume de negócios (médio) por empresa:
O concelho do Seixal apresenta, por empresa, um volume de negócios de 190,1 mil euros, estando este valor afastado da média nacional (305,5 mil euros), da média da zona da Grande Lisboa (547,8 mil euros), da média da Península de Setúbal (223,9 mil euros), e até da média do melhor caso a nível distrital, o concelho de Palmela (812,7 mil euros).

Assim, e através dos dados apresentados, chegamos a algumas conclusões:
1. O concelho do Seixal tem, em média, menos empresas do que os concelhos próximos;
2. O concelho do Seixal tem, em média menos trabalhadores por empresa relativamente à média nacional e regional;
3. O concelho do Seixal tem, em média, um volume de negócios médio, por empresa, inferior à média nacional, da média distrital e da média das regiões vizinhas.
4. Por fim, concluímos que a Câmara Municipal do Seixal desempenhou, de facto, o papel fundamental, a nível económico, do qual se gaba. Foi através desse papel fundamental que o concelho do Seixal está hoje, a nível económico, na situação negativa em que se encontra.

O Pelouro do Emprego e Empreendedorismo

5 comentários:

GATO GIL disse...

Não sejam injustos.
A Câmara Municipal do Seixal até criou um Gabinete de Estudos e Desenvolvimento Económico, bem como um Gabinete de Apoio ao Empresário. Não se sabe é para que servem e o que fazem.
Conhecem alguma micro, pequena ou média empresa do Concelho que tenha sido apoiada?
Até as compras por ajuste directo são feitas noutros Concelhos…

Pensar o Seixal no Século XXI disse...

Bom trabalho de pesquisa que coloca a nú as fragilidades do discurso propagandistico dos responsáveis na CMS/PCP.

Cumprimentos,
Filipe de Arede Nunes

Anónimo disse...

Trabalho muito bem realizado.

Parabéns.

Anónimo disse...

Depois deste belo trabalho de pesquisa, que põe a nu,as fragilidades do discurso propagandístico dos responsáveis da CMS/PCP,como é que se faz chegar a informação às centenas de incautos que receberam a propaganda.É que a net não chega a quase ninguem como nós bem sabemos.

Anónimo disse...

Vcs são uma vergonha para a JSD...