sexta-feira, março 20, 2009

Mui agradecido!


Obrigado pelas 500 edições a felicitar mau trabalho.

Obrigado pelos 34 anos de propaganda política do PCP/CDU feita com o dinheiro de todos os munícipes.

12 comentários:

Daniel Geraldes disse...

É só desperdicio. Há quem pense e diga o contrario, mas é só desperdicio.

Marlene Pires disse...

Sem dúvida, é dinheiro dos municipes mal gerido. E se lerem o editorial, é um discurso tipicamente demagógico!

Anónimo disse...

E se repararem bem, a CMS fez uma OPA ao Jornal do Seixal, que agora só aparece as fronhas dos mandas chuvas do PC.

Anónimo disse...

E tentou fazer ao comercio mas não teve sucesso pois foi uma OPA que ia contra os seus donos (não queriam perder o poder)

Jo disse...

Para quem defende o comunismo, os comunas até andam muito capitalistas. Agora já querem fazer OPAS aos jornais locais, aonde é que vai ser a Assembleia Geral do Jornal do Seixal, para eu ir lá votar contra a OPA dos comunas!!!

É só para dizer que o ordenado do Alfredo Monteiro devia ser reduzido!!!

Anónimo disse...

Lá vamos a ver, se o Jornal do Seixal esta semana publica o vencimento do nosso Presidente.

Anónimo disse...

Foda-se que vocês são mais estupidos que a puta que vos pariu. Qual é o problema com o ordenado do Presidente da CMS? Se consultarem aqui: http://www.dgaa.pt/remun.htm vão ter acesso ao ordenado de todo e qualquer presidente da camara do pais, independentemente do partido. É publico, é uma percentagem do do PR, que é do PSD e ganha 6.897,94. O presidente da CMS declara os rendimento em conjuntoi com a esposa, o malandro, o que faz esse valor exerbitante de 60000 euros anuais, menos do que ganha qq jogador de futebol num mês, ou até ses calhar muitas das bestas que tem feito estes comentarios. São mesmo um caso perdido

Maria Luísa Gama disse...

O editorial desta edição «histórica» poderia ter sido utilizado pelo Sr. Presidente para esclarecer os munícipes sobre o dinheiro gasto com esta propaganda ao longo das 500 edições.
Também acho que este número bonito merecia sem qualquer dúvida uma edição especial, comemorativa. Que tal um número inteiramente dedicado às promessas que se repetem ao longo de 500 edições? O nº de vezes em que se salienta a maldade do poder central e em que este é culpabilizado por tudo o que não se faz e deveria ser feito no concelho?
Sem qualquer dúvida o Boletim é uma excelente fonte histórica. Qualquer historiador que queira estudar o Seixal das últimas décadas pode ler as 500 edições do boletim e verificar o que existe para lá destas folhas de papel: a ilusão de alguns jardins bonitos, as promessas que se repetem ano após ano...
Enfim, após 500 edições ficamos com a certeza de que o Seixal não pode ser apenas ilusão e propaganda. Pode fazer-se muito mais e muito melhor. É preciso coragem para mudar, para que se possa construir o verdadeiro concelho de Abril, mais democrático, mais empreendedor, mais verde (ser mais verde não significa apenas ter uma freguesia «florida»), onde a aposta no turismo e a preservação do património histórico e natural sejam efectivamente uma realidade. Para que todos os que aqui vivem sintam verdadeiramente o Seixal como a sua Terra e não apenas o sítio onde vêm dormir.

Maria Luísa Gama disse...

Já agora mais uma sugestão. A C.M.S vai realizar uma nova edição do «Seixal e os Descobrimentos. Turismo Educacional». Espero que este ano não seja tão fraca como foi o ano passado. Ter duas pessoas caracterizadas como Vasco e Paulo da Gama não chega para demonstrar a ligação entre o Seixal e os Descobrimentos, nem para explicar minimamente a expansão portuguesa. Aliás seria bom que os dois navegadores conseguissem falar sobre si próprios a quem os interpela. É demasiado pobre, não chega. Se é denominado como turismo educacional deveria ser efectivamente educacional.
Já agora também era conveniente que as outras actividades que se vão realizar em paralelo na quinta da fidalga, como a feira da quinta ou os ateliês de artesanato estivessem mesmo relacionados com os Descobrimentos. Se não para que é o título «Seixal e os Descobrimento». Ter duas pessoas vestidas «à moda» do século XVI não é suficiente para se falar nestes dois conceitos: «Descobrimentos» e «Turismo Educacional».

Pedro Sousa disse...

Muito bem Luisa!

Anónimo disse...

Ao anónimo de Sexta-feira, Março 20, 2009 7:13:00 PM

UM POUQUINHO DE PIRI-PIRI NESSA BOCA FICAVA-TE A MATAR! TEM JUÍZO E SE NÃO GOSTAS DA FRUTA MUDA DE LOJA. É A EDUCAÇÃO QUE TE DERAM NA EX-URSS?

Anónimo disse...

de momentos pensei que o nosso amigo M tinha voltado.

parece que não